1463576998573c69a66d384591769206A corrida pela cadeira do executivo monte-belense ainda nem foi deflagrada e já está causando agitação entre os eleitores e bastidores da política local. Todos querem saber quais serão os postulantes e se a prefeita Mércia Tatico realmente ficará fora do pleito, como ela mesma tem anunciado.

Recentemente, por várias vezes, a prefeita Mércia Tatico declarou em público que não será candidata à reeleição nas próximas eleições. Sua atitude inesperada causou surpresa, indignação e dúvidas em muitos, principalmente aos seus fies simpatizantes. Embora a classe política local, também não esteja de fato convencida.

Para elucidar a interrogação, esta reportagem procurou a prefeita Mércia Tatico por várias vezes para se manifestar sobre suas declarações, mas ela preferiu não falar com o Jornal A Voz do Povo. Mércia Tatico segue o exemplo do marido Edmilson Tatico que já declarou que não fal a com A Voz do Povo. Segundo ele esse jornal não representa nada pra ele.

Por vários cantos da cidade o assunto tomou corpo. Será que a prefeita está falando a verdade, ou trata-se apenas de uma estratégia política? O Jornal A Voz do Povo, diante do burburinho em torno do assunto, foi ouvir a opinião da população e de alguns nomes tidos como pré-candidatos.

O ex-vereador Nei da Renap, disse não acreditar que ela não seja candidata à reeleição. Segundo ele, não passa de uma estratégia política dos Taticos. “O mesmo aconteceu durante a campanha do primeiro mandato do Edimilson, seu marido. Ele utilizou deste mesmo recurso, depois saiu candidato”, analisa.

O ex-vereador, na sua análise, também não acredita que a situação atual caracterize ou venha fortalecer este ou aquele pré-candidato. “O desgaste do Sandoval da Matta na campanha passada foi grande, inclusive financeiro; o Inézio não alavanca sua intenção, porque está na mesma situação do Sandoval; e o major Edelcírio dificilmente conseguirá aglutinar forças políticas suficientes”, pondera.

Segundo Ney, dificilmente Mércia perderia. “Quer queria, quer não, ela é forte candidata. Quem está com a administração na mão, só de favores da máquina pública, não sai com menos de 6 mil votos. Numa eleição onde 8 mil e poucos votos elege um candidato, dificilmente ela perde. A situação política em São Luís é complicada. O candidato precisa além de apoio, dinheiro. Na eleição passada a Mércia ganhou do Sandoval com uma diferença de oitocentos e poucos votos”, reconhece.

O ex-prefeito Sandoval da Matta (PRB), considerado um forte candidato, no início não quis opinar, depois rasgou o verbo. “Na minha opinião, essa decisão dela dizer que não será candidata, politicamente só se desgasta. Quando você demonstra fraqueza, enquanto pode demonstrar força, até os companheiros que querem te apoiar, na dúvida vão procurar outro candidato para apoiar, porque eles querem estar na política, querem apoiar alguém”, posiciona.

“Indecisão não é bom pra ninguém, eleitor nenhum gosta de indecisão. Todo eleitor quer ter certeza, quer ver projetos, quer aquele candidato que irá te dar apoio, te dar estrutura, ter certeza que com ele irá até o final”, afirma.

Ainda sobre a indefinição da prefeita se lançar candidata a reeleição, Sandoval reagiu dizendo: “Não acredito que a demora da prefeita Mércia lançar-se candidata, venha fortalecer determinado pré-candidato. Eu acho que cada um precisa apresentar o seu trabalho, independe de com quem irá disputar a eleição. As coligações, a união de forças só será definida no final do segundo tempo, no mês de agosto”, declara.

Também tido como pré-candidato, Inézio Mágno de Oliveira (PMDB) foi enfático sobre o assunto: “Se ela vai ou não, não sei dizer, mas se não for candidata, com certeza eles irão apoiar alguém do grupo deles, a dúvida é saber quem será esse nome, pelo menos não foi ventilado esse possível candidato”, diz ainda: “Quanto à indecisão da prefeita Mércia, fortalecer a minha candidatura, do Sandoval ou do major Edelcirio, a disputa será voto a voto, de igual para igual com quem quer que seja”, reage.

O major Edelcírio da Silva, outro pré-candidato, se manifestou dizendo: “Eu não estou convicto de que a prefeita não será candidata. Sua declaração na emissora de rádio foi bem superficial. Acredito que isto possa ser parte de uma estratégia política. Muitos candidatos fazem isto, é uma forma de evitar desgaste, de serem procurados pelas pessoas no sentido de conseguir alguma coisa”, avalia.

Outros nomes também citados como pré-candidatos a prefeito nas próximas eleições, em São Luís de Montes Belos, como o Professor Valteir Tinan (PTR), Batista da Saúde (PR), Eber Dias (PT), Edivaldo do Jornal (PTC) e Junior da Receita (PMDB) não foram localizados ou preferiram não falar sobre o assunto.

“Uma coisa é certa, se ela de fato não for candidata, não acredito de forma alguma que eles não vão lançar alguém, um representante para disputar as eleições municipais de 2016” afirma.

Ederjon Fernandes Braga, advogado: “Particularmente eu acredito que sim. É uma jogada, lutaram tanto pra conseguir o poder, agora que está lá vai abrir mão? É quase que impossível. Só se tiver um motivo muito forte por trás que desconhecemos, pra ela não ser candidata. Caso contrário é só uma estratégia política”, posiciona.

Durval Ferreira de Moraes, aposentado: “Posso falar? Eu penso que ela não vai ser não. É o que eu tenho ouvido falar”, diz.

Geraldo Amorim, chacareiro aposentado: “Eu acho que ela vai ser candidata à reeleição sim. Ela está fazendo uma boa administração”, avalia.

João Batista de Lima, aposentado: “Eu acho que ela será candidata. É uma boa prefeita, uma pessoa que a gente já conhece. Eu, por exemplo, não troco ela por outro candidato, voto nela”, afirma.

Jales Jacob de Araújo, aposentado: “Eu acho que ela não vai ser candidata. Como prefeita, não foi muito boa pra nossa cidade, desta vez não será candidata”, declara.

João Cândido, chacareiro aposentado: “Eu acho assim. Eu mexo com fazenda e pra onde nós moramos, no Cerradão, ela foi boa demais. Todos os vizinhos estão reclamando se ela não for candidata”, afirma.

João Luzia dos Santos, aposentado, vendedor de picolé: “Eu acho que ela está levando no banho-maria, deixando pra última hora. Mas se ela for candidata eu voto nela, porque pra nós moradores do Parque das Araras, ela está sendo muito boa”, diz.

Otoniel Vicente de Carvalho, empresário: “Eu não tenho nada contra ela, mas não será candidata não”, define.

Após as entrevistas de Inézio Magno e Sandoval da Matta, o Tribunal de justiça de Goiás jogou um balde de água fria em seus projetos políticos. Ambos perderam um recurso de uma decisão daquele Tribunal que mantinha a condenação proferida contra eles na Comarca de São Luís. Eles foram condenados pelo crime de Improbidade Administrativa, pela compra superfaturada de um terreno. Para se livrarem da Lei da Ficha Limpa, e pra poderem disputar as eleições desse ano, eles buscam uma medida liminar no Superior Tribunal de Justiça, em Brasília.

Sobre o fato de os Taticos não falarem com o Jornal A Voz do Povo, a direção do periódico declara que respeita a decisão deles e de qualquer pessoa que preferir não falar, dar entrevistas ou mesmo opinar sobre qualquer assunto abordado em sua pauta. “Esse é o preço que pagamos para sermos livres, transparentes e não subservientes a ninguém. A nossa imprensa é livre e pautada no respeito ao leitor”, diz a direção.

Por: Dilson Paiva.