Há 11 dias cerca de 30 universitários de várias partes do Brasil estão acampados na porta da unidade da Universidade Estadual de Goiás – UEG – de São Luís de Montes Belos em busca de três vagas que foram abertas no curso de Medicina veterinária com a desistência de alunos que estavam ainda no primeiro período do curso.

Pessoas vindas de Mato Grosso, Rondônia, Bahia, Paraná e de outras partes do país alimentam a esperança de fazer a transferência para o curso oferecido em São Luís de Montes Belos. Até as 9 horas da manhã desta terça-feira, 15 concorrentes já haviam passado pela entrevista e três tinham sido escolhidos para assumirem as vagas ofertadas.

Com desistência de alunos no primeiro período, abriram-se estas três vagas e o critério estabelecido foi a ordem de chegada para quem fez a inscrição no período de 11 a 21 de julho. Após a chegada, vem a fase de classificação para inscrições online que vai de 1 a 3 de agosto. De acordo com a direção da UEG, para as três vagas para o curso de Medicina Veterinária 10 pessoas foram classificadas. As três primeiras ficaram com as vagas.

Também segundo a UEG, o restante dos alunos ficará numa lista de reserva para caso surja no futuro mais vagas com outras desistências. Com exceção do curso Técnico em Laticínios, a Universidade dispões de mais vagas para outros cursos, além do de Medicina Veterinária.

As cenas dos alunos pernoitando na fila em barracas, mal acomodados e até passando frio, provocaram a revolta em várias pessoas. “Uma cena vergonhosa, ver essas pessoas pernoitando por várias noites na espera de vagas para estudar numa faculdade pública, acentua a dona de casa, Maria Cleuza.

“O fato é vergonhoso, pincipalmente, por opção a esse critério de escolha, o que significa o sacrífico para muitos em filas, dias e noites seguidas”, frisa outra pessoa. Além dos alunos acampados, amigos e familiares engrossavam a fila em sinal de apoio.

Por: Edivaldo do Jornal, com foto e informações do Jornal Oeste Goiano