O fato trágico aconteceu, por volta das 20 horas, desta sexta-feira, 11, na piscina de uma casa de eventos, localizada na Avenida Aeroporto, do Setor Aeroporto. O garotinho José Augusto Ferreira da Silva Paula, de apenas 1 ano e 10 meses, morreu afogado. No local iria acontecer naquela noite uma festa de aniversário. A aniversariante era prima da vítima.

Nos levantamentos feitos pela Polícia Militar constam que a mãe da criança, Ingrid Ferreira de Paula, disse que se descuidou um pouco do filho e quando percebeu ele estava dentro da piscina. Que imediatamente ela pulou na piscina e o tirou para fora. Momento em que ela e uma amiga tentaram reanimar a criança, mas sem êxito.

Depois de ser acionada, uma equipe do Samu chegou rápido ao local. O médico socorrista Dr. Marcos Vieira realizou todos os procedimentos possíveis no sentido de trazer de volta a vida do pequeno José Augusto, mas ele já estava sem os sinais vitais. A morte da criança deixou em choque os pais e a família transtornada. Como não podia ser diferente, a festa foi cancelada. A família da vítima é de Brasília.

A equipe da Polícia Militar, sob o comando do Sargento Cândido, comunicou o fato à Polícia Civil, que por sua vez acionou o Instituto Médico Legal – IML -, de Iporá, que horas depois recolheu o corpo do pequeno garotinho.

Sebastião Borreia, irmão da tia do menino, por parte de pai, disse a essa reportagem que o fato deixou toda a família em estado de choque. Ele ficou sem palavras para descrever a dor dos familiares. “É muito triste uma situação dessa”, disse.

O corpo de José Augusto foi levado para Brazlândia-DF, onde foi velado e sepultado. A morte desse garotinho abalou uma família inteira. O caso deve servir de alerta às autoridades no sentido de apurar o fato com o máximo de rigor para evitar que outra tragédia igual ou semelhante possa acontecer nesse local. Alugar o espaço para festas infantis com a liberação da piscina sem a devida proteção, não justificável.

Por: Edivaldo do Jornal