Indignado, o comerciário Rheldmar Santana desabafou nas redes sociais e em seguida procurou o Jornal A Voz do Povo para denunciar a situação que havia passado na agência do Banco do Brasil de São Luís de Montes Belos, no dia 11 desse mês. Segundo ele, o seu atendimento levou mais de três horas para ser realizado.

Rheldmar conta que chegou à agência às 15 horas, como comprova a senha que ele pegou, número CO87, e que às 17h32, duas horas e meia depois, o Banco havia atendido até a senha número CO72, como mostra o painel. Revoltado com a espera, Rheldmar reclamou na agência, mas não adiantou. Teve que esperar mais 15 pessoas serem atendidas na sua frente. “Uma verdadeira vergonha, por que não falar um Desrespeito com o cidadão”, disse Rheldmar Santana.

Outro cliente que também reclamou nas redes sociais foi Thiago Oliveira. Ele conta que também passou por situação semelhante na mesma agência. Thiago foi mais além, ele conta que utilizou o 0800 729 0722, canal para reclamações sobre os serviços prestados pelo Banco do Brasil, para denunciar o que aconteceu com ele.

Além disso, Thiago recomendou a todas as pessoas que façam o mesmo. Ele acredita que se todos fizerem assim o Banco poderá tomar providências e resolver o problema. “Fiz hoje uma reclamação no 0800 729 0722 sobre o atendimento do Banco do Brasil de São Luís de Montes Belos, aconselho a todos que tiveram problemas com atendimento que façam uma reclamação, porque o serviço do BB de São Luís tá péssimo, horas e horas na fila, reclamem até que uma providência seja tomada”, disse.

A direção da agência do Banco do Brasil, de São Luís, foi procurada por esta reportagem para falar sobre o assunto, mas não foi encontrada. O espaço fica aberto. Em São Luís existe uma Lei Municipal, aprovada pelo Poder Legislativo, que limita o tempo de espera nas filas dos bancos em 20 minutos, mas prática não é isso que acontece.  

Além da Lei Municipal, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) também prevê uma série de sanções administrativas aos bancos que descumprem a legislação. As penalidades podem variar de uma simples advertência à imposição de pesadas multas, ou até mesmo ao fechamento do estabelecimento. Se o interesse for a indenização pelo dano moral, o consumidor deve judicializar a reclamação, ou seja, recorrer ao Poder Judiciário.

Por: Edivaldo do Jornal