No Brasil, 300 mil pessoas sofrem infartos todos os anos; em 30% dos casos o ataque cardíaco é fatal.

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo. A cada ano, cerca de 17 milhões e meio de pessoas são vítimas de problemas do coração, como por exemplo, ataques cardíacos e derrames. De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, 300 mil pessoas sofrem infartos todos os anos, e em 30% dos casos o ataque cardíaco é fatal.

De acordo com a cardiologista Fátima Dumas Cintra, o colesterol alto e o sedentarismo são fatores de risco para o aparecimento de doenças. Segundo ela, o principal vilão é a hipertensão, mais conhecida como pressão alta, que acaba sobrecarregando o sistema cardiovascular. “Sem dúvida alguma a elevação da pressão arterial, a pressão alta, ela realmente é um fator muito relevante hoje em dia como desencadeador de uma série de doenças cardiovasculares, em especial Acidente Vascular Cerebral (AVC), infarto agudo do miocárdio e a ocorrência de algumas arritmias.”

A especialista alerta que é preciso fazer exames regularmente. Se sentir sintomas como falta de ar, cansaço após esforço físico, dores e queimações no peito, além de formigamento no braço esquerdo, procure um médico imediatamente.

Recentemente, a dona de casa Zelita Maria dos Anjos, de 52 anos, descobriu que tem arritmia cardíaca. Isto ocorre quando os impulsos elétricos do coração não funcionam corretamente, fazendo com que a frequência cardíaca seja acelerada ou muito lenta. Ela dá mais detalhes de como se sente quando os batimentos cardíacos dela parecem mais acelerados do que o normal.

“Quando o coração acelera muito eu fico muito cansada, inclusive fico nervosa, parece que o coração fica inchado, como se não tivesse espaço para ele.” É válido ressaltar, que 80% das ocorrências de doenças cardiovasculares poderiam ser evitadas com hábitos saudáveis, como evitar a ingestão de bebidas alcoólicas, cigarros e sedentarismo. A prática de atividades físicas e uma dieta balanceada com baixas concentrações de sódio e açúcares também ajudam a evitar doenças.

 DOENÇAS

O paciente pode desenvolver insuficiência cardíaca quando o órgão aumenta de tamanho por conta da pressão nos vasos. Os sintomas são: falta de ar e inchaço nas pernas.
O infarto de miocárdio é outra ocorrência recorrente. Isto ocorre quando o coração perde a irrigação sanguínea, já que as artérias estão obstruídas por placas de gordura e a circulação fica comprometida.

SINTOMAS

A Organização Mundial da Saúde ressalta que um ataque cardíaco ou um derrame podem ser os primeiros sinais de alerta para um problema ainda maior. Os sintomas incluem dor ou desconforto no centro do peito e dor ou desconforto nos braços, no ombro esquerdo, nos cotovelos, na mandíbula ou nas costas.

A pessoa também pode apresentar dificuldade para respirar ou falta de ar; enjoos e vômitos; tontura e desmaios; suor frio; e palidez. Mulheres têm maior chance de apresentar falta de ar, náusea, vômito e dor nas costas ou na mandíbula. A orientação é que pessoas que apresentem esses sintomas procurem auxílio médico imediato.

DICAS DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA

Semente de abóbora faz bem ao coração

As sementes de abóbora são boas para o coração porque ajudam a abaixar o colesterol Para preparar as sementes deve-se retirá-las de dentro da abóbora e depois deixar secar no sol ou no forno sem ultrapassar os 75ºC. As sementes de abóbora podem ser usadas inteiras para adicionar a saladas ou frutas, assim como triturar e juntar em sopas, cereais ou sucos de frutas. Também se pode fazer molhos para saladas juntando sementes de abóbora trituradas. As sementes de abóbora podem ser consumidas todos os dias de uma forma diferente.

Após a cirurgia do coração, o doente deve ter alguns cuidados

Após uma cirurgia do coração, o doente deve ter alguns cuidados como não dirigir por até 60 dias, não dormir de lado por pelo menos 3 meses, seguir uma dieta saudável rigorosa, não realizar atividade sexual durante 30 dias e, se possível, continuar realizando fisioterapia. A cirurgia do coração é uma cirurgia complexa que dura algumas horas e requer que o doente adote um novo estilo de vida, evitando o sedentarismo e o estresse. É importante que o paciente entenda que não está curado e que, a melhora na qualidade de vida depende da cirurgia e dos cuidados que o paciente terá daí em diante. O acompanhamento médico deverá ser por toda vida e os exames complementares podem ser solicitados anualmente, mesmo que o paciente esteja sem sintomas.

Não deixe para procurar ajuda somente quando sentir algum desconforto

Você vai gastar somente um dia no ano para realizar um check-up preventivo. 

Com alguns exames de sangue, como Perfil Lipídico, Ácido Úrico, Homocisteína, Proteína C-Reativa-Ultrassensível (PCR-us), Glicemia de jejum, Hemoglobina Glicada, Lipoproteína-a [Lp(a)], ApoB, ApoA1 e outros, é possível identificar problemas cardiovasculares e monitorar a gravidade do caso. Cabe ao médico que acompanha o paciente solicitar os marcadores que mais se adequam a cada caso clínico.

Saiba os sintomas da doença arterial periférica

Quando o endurecimento e estreitamento das artérias afeta as pernas, ocorre a chamada doença arterial periférica ou PAD. Seus sintomas são frequentemente confundidos com outras doenças, e muitas vezes não são diagnosticados. Se os fatores de risco não são controlados (tabagismo, hipertensão arterial, diabetes, colesterol alto e falta de exercício), a doença pode progredir e acabar com a perda do membro.

Os sintomas são: dor para caminhar que melhora em repouso e reinicia quando você anda novamente, a dor é pior se você anda mais rápido ou sobe morros; a distância que você consegue andar fica cada vez mais curta; e eventualmente você começa a sentir dor nas pernas mesmo quando estiver descansando e os pés tornam-se avermelhados quando pendurados; dor no pé quando você está dormindo; e finalmente os dedos tornam-se pretos e ocorre gangrena.

Os objetivos gerais para o tratamento de PAD são: reduzir os sintomas, melhorar a qualidade de vida e a mobilidade e amputação do membro. Como são doenças causadas por placas de colesterol, a prevenção da PAD também ajuda a impedir o ataque cardíaco e amputação. Há três abordagens principais para tratar PAD: fazer mudanças de estilo de vida; tomar medicamentos; e em alguns casos, pode ser necessário algum procedimento especial, como angioplastia ou cirurgia.

Fonte: Agência do Rádio