Investigação apontou Horácio Rozendo Araújo Neto como o autor do assassinato de Vanessa Camargo. População de Iporá planeja manifestação.

Pouco mais de 24 horas depois da divulgação do inquérito que apontava Horácio Rozendo Araújo Neto como autor do homicídio que vitimou sua própria esposa, Vanessa Camargo, um juiz decidiu por conceder liberdade ao suspeito. Wander Soares Fonseca, da comarca de Iporá, negou o pedido de prorrogação da prisão provisória e outro de decretação de prisão preventiva, preferindo soltá-lo impondo outros tipos de medidas cautelares.

Horácio foi solto no fim da tarde desta quinta (5). Mais detalhes não foram revelados porque o processo corre em segredo de Justiça.

Na última quarta-feira (4), conforme noticiado pelo Mais Goiás, a Polícia Civil divulgou a conclusão do inquérito sobre a morte de Vanessa e o indiciamento de Horácio por homicídio qualificado e aborto, já que a vítima estava grávida de três meses quando ocorreu o crime. Segundo o delegado Ramon Queiroz, o depoimento que Horácio prestou, sobre a mulher ter sido morta durante um assalto, foi contradito com as provas técnicas que foram apuradas ao longo da investigação.

Mandado de busca e apreensão foi cumprido na residência do casal e no local foram encontradas munições e duas apólices de seguro de vida relativas à vítima. “Acredita-se que essa foi a motivação do crime, já que o acusado tinha o direito em receber o seguro se caso acontecesse algo com a vítima. A vítima relatava aos familiares que estava querendo se separar e isso também pesou na conclusão do caso”, destaca.

Ao Mais Goiás, a mãe de Vanessa, Nilva Camargo, revelou indignação com a decisão de soltar Horácio. “O pessoal da cidade está promovendo uma manifestação na porta do Fórum às 17h. Está todo mundo revoltado com isso”, declarou.

Nilva, que está com a tutela do filho de Vanessa com Horácio, disse ainda temer pela própria vida com a soltura do acusado.

O Crime

Vanessa foi morta com um tiro na cabeça enquanto o casal seguia para Goiânia no dia 31 de julho. Horácio alegou aos policiais que o veículo em que estavam foi abordado por dois assaltantes na GO-060. O suspeito afirmou que deu a direção do carro para um dos bandidos e foram levados à uma estrada de terra. No local, Vanessa teria discutido com um dos criminosos e foi baleada na cabeça.

Nas preliminares, a Polícia Civil já destacou as divergências em seu depoimento. A perícia também confirmou que não havia mais nenhuma pessoa na cena do crime. Mesmo preso, Horácio sustenta a versão de que a esposa foi morta em um assalto. O casal tinha um filho de 2 anos.

Fonte: Mais Goiás