Diógenes Ferreira do Carmo, 30, foi socorrido, mas morreu no Hugo; segundo porta-voz da corporação, autor disse que foi abordado pela vítima armada e que achou que se tratava de um assalto.

O soldado da Polícia Militar Diógenes Ferreira do Carmo, de 30 anos, foi morto, neste domingo (29) em Goiânia, durante uma troca de tiros com o também policial militar, soldado Jeferson Vaz Fernandes. Segundo a assessoria de comunicação da PM, Jeferson foi surpreendido por Diógenes armado, enquanto dava uma carona para uma ex-namorada da vítima.

De acordo com o assessor de comunicação da corporação, o tenente-coronel Marcelo Granja, o autor achou que tratava-se de um assalto e atirou contra o soldado. “Ele [Jeferson] percebeu que um indivíduo se aproximou de forma rápida com um veículo, desembarcando com arma em punho, ocorrendo uma troca de tiros entre ambos, tendo em vista achar se tratar de um roubo”, afirmou em nota.

O caso ocorreu na madrugada deste domingo, no Setor Leste Vila Nova, em Goiânia. Conforme a PM, após o tiroteio, o Corpo de Bombeiros socorreu a vítima, que foi levada com vida até o Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo), onde acabou morrendo. Jeferson afirmou à polícia que só descobriu que a vítima era um policial militar quando o socorro chegou.

Segundo Granja, após o fato, Jeferson se apresentou a uma delegacia da Polícia Civil para prestar informações para os procedimentos de investigação. De acordo com o porta-voz da PM, a Corregedoria da corporação também instaurou um procedimento para apurar o fato.

“O soldado Diógenes estava na PM GO há três anos e 10 meses, e tinha bom comportamento”, afirmou o tenente-coronel em nota.

O Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia informou que o corpo do policial já foi liberado para a família. No entanto, a Polícia Militar afirmou que o local do velório ainda não havia sido definido.

Fonte: G1/Goiás