Foi deflagrada ontem, na cidade de Inhumas, a 3ª fase da Operação “Assepsia” que durou 16 horas e cumpriu 2 mandados de prisão temporária e 1 de busca e apreensão expedidos em desfavor do Presidente da Câmara dos Vereadores de Inhumas Gleiton Luiz Roque (Tumate), recentemente afastado por ordem judicial, e o assessor de comunicação da Casa Legislativa Carlos Alberto de Oliveira Filho, pela prática, em tese, do crime de tráfico de drogas.

Segundo as investigações presididas pelo delegado de polícia Humberto Teófilo, Tumate e seu assessor Carlos Alberto foram flagrados, via aplicativos telefônicos, vendendo e usando o entorpecente ecstasy, popularmente conhecido como “bala”.

A Justiça atendeu ao pedido do delegado, o qual relatou a gravidade em concreto das condutas dos funcionários públicos, informando ainda que Carlos Alberto possui diversas passagens pela Polícia, inclusive já tendo sido condenado com a pena de 5 anos e 4 meses de prisão pelo crime de roubo a estabelecimento comercial.

O inquérito policial também aponta indícios que o outro vereador Bruno Braz apenas fazia uso dos entorpecentes com os investigados, motivo pelo qual não foi requerida sua prisão. A Justiça também proibiu a visita de Bruno Braz para Tumate enquanto este estiver preso e determinou que os presos fiquem em celas separadas.

Carlos Alberto foi preso, no início da manhã, em sua residência, e, no momento das buscas, os policiais civis encontraram em seu poder 1 arma de fogo com numeração raspada, 1 balança de precisão, porções de maconha e diversas embalagens vazias para colocar ecstasy. Carlos foi preso em flagrante por tráfico de drogas e posse de arma de fogo de uso restrito.

O Presidente afastado Tumate foi preso por volta das 22h em Goiânia em um restaurante famoso da cidade, não esboçando reação, razão pela qual foi desnecessário o uso de algemas.

A operação Assepsia completa sua 3ª fase e iniciou-se no dia 19 de setembro do corrente ano com o cumprimento de mandados de busca e apreensão em diversos locais, dentre eles na Câmara dos vereadores e na residência de Tumate.

Fonte: Mais Goiás