A Câmara Municipal de São Luís de Montes Belos deverá ter uma sessão ordinária tumultuada hoje, 13, às 16 horas. É que estará na pauta um pedido para a criação de uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar denúncia relacionada à compra irregular de combustíveis pela atual gestão no ano de 2017.

De acordo com o vereador Alex dos Garis, em levantamento feito por ele, vários veículos e máquinas que estão encostados há anos e sem nenhuma atividade (quebrados, desmontados e até sem motor e rodas) teve combustíveis pagos pela prefeitura como se estivessem rodando normalmente.

Dois exemplos citados pelo vereador que destacam nas denúncias são o de um caminhão coletor de lixo, que está sem motor e rodas há quase dois anos. Esse veículo, de acordo com a planilha de prestação de contas no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), teria consumido em 2017 cerca de 23 mil litros de óleo diesel.

Outro caso, de um trator de esteira, é mais grave ainda. Parado e todo desmontado há mais de seis anos, em 2017 ele teria consumido cerca de 40 mil litros de óleo diesel. Segundo Alex dos Garis, existem vários veículos em situação semelhante.

O pedido para a criação da CEI, à Câmara Municipal, foi feito pelo jornalista e ex-vereador Edivaldo do Jornal, depois de averiguar a procedência e veracidade dos documentos apresentados pelo vereador Alex dos Garis. “O caso é tão absurdo que tive que ir ao TCM para averiguar a procedência das informações contidas nas planilhas. Só ai resolvi fazer o pedido”, disse Edivaldo.

Mesmo diante da gravidade das denúncias, o placar na Câmara Municipal sobre a aprovação da criação da CEI não está decidido. De acordo com informações de bastidores da Câmara Municipal e prefeitura, existem vereadores que devem mais obediência ao prefeito do que à população que paga os seus salários para que eles fiscalizem o poder executivo.

“O prefeito e seu grupo afirmam que não existe nada de errado. Que o prefeito é inocente. Então, quem não deve não teme. Então é só o prefeito liberar os vereadores da sua base para apoiarem a criação da CEI. Ai tudo ficará esclarecido. Esse gesto do prefeito mostraria que ele realmente poderá ser inocente nesse caso escandaloso”, disse Edivaldo do Jornal.

Para o prefeito Major Eldecírio, que está apenas um ano de três meses no carco, ter que enfrentar uma investigação de seus atos em tão pouco tempo, segundo de um de seus assessores, é muito constrangedor. “Ainda por um motivo tão grave. Corrupção era a palavra que não constava do plano de governo dele. Mas também por suas companhias isso já era esperado”, disse o assessor que pediu para não ser identificado.

Esta reportagem tentou falar com o prefeito Major Eldecírio sobre o assunto, mas ele não foi encontrado. A pessoa que atendeu a nossa ligação ficou de passar o recado para o prefeito para que ele retornasse caso ele queira falar sobre o caso.

Por: Eduardo Guedes / Foto: Arquivo Câmara Municipal