Ação da Polícia Civil e do Exército prendeu 20 pessoas e apreendeu 3,5 kg de droga e uma arma; segundo delegado, grupos traficavam como um ‘negócio de família’.

 

Uma força-tarefa da Polícia Civil com o Exército prendeu, nesta quinta-feira (26), 20 pessoas suspeitas de comandar o tráfico de drogas em Iporá, na região central de Goiás. Segundo a Polícia Civil, a maior parte dos presos faz parte de quatro famílias que atuavam desde a compra à distribuição de maconha na cidade.

Segundo o delegado Ronaldo Pinto Leite, responsável pelas investigações, as quatro famílias atuavam de forma independente, fazendo do tráfico um ‘negócio de família’. “Eram mãe e filho, pai, filho e tio, marido, mulher e sobrinho, e, além das pessoas que tinham relação de parentesco, foram presas pessoas que diretamente ou não tinham ligação com estas famílias”.

“As famílias não tinham relação direta entre si, e faziam do tráfico um ‘negócio familiar’ na cidade”, disse ao G1 o delegado.

 

A Operação, denominada “Famiglia”, foi deflagrada na manhã desta quinta-feira, em Iporá. Segundo a Polícia Civil, ação envolveu 90 policiais e teve o apoio do Exército com cães farejadores para ajudar nas buscas.

Conforme o delegado, além dos 20 mandos de prisão cumrpidos nesta quinta-feira, outras 15 pessoas foram presas em flagrante ao longo dos últimos 6 meses, período em que as famílias foram investigadas. Ele afirma que a maior parte dos presos nesta manhã já tinham passagem na polícia.

“A operação de hoje não é definitiva, vamos continuar combatendo a mercancia de drogas aqui na cidade. Apurando os crimes, pode ser que haja a necessidade de que outras pessoas sejam presas. O interessante é que quase todos foram presos anteriormente por tráfico”, destacou o investigador.

Além dos mandados de prisão cumpridos, a Polícia Civil apreendeu 3,5 kg de maconha e uma arma de fogo. Os presos foram autuados por tráfico de drogas e associação criminosa.

Fonte: G1/Goiás