No final da noite desta sexta-feira, 31, por volta das 23 horas, a jovem Karyta Augusto Rodrigues dos Santos, com apenas 18 anos de vida, completados recentemente, foi brutalmente assassinada. Ela foi golpeada no interior da residência e, na tentativa de fugir do assassino, ela seguiu até o portão, onde caiu já sem sem vida. O fato aconteceu na Avenida Hermógenes Coelho, Setor Barreirinho. Ela levou um golpe de faca na área do pescoço, na jugular que quase a levou à degola.

O suspeito de cometer o crime é o amásio da vítima, Valdivino de Jesus Damas, 50. Depois de assassinar friamente e com requintes de crueldade a mulher por quem jurava amor eterno, o autor evadiu-se do local. Mas antes de fugir, de acordo com o delegado Tiago Junqueira, que acompanha o caso, ele voltou para o interior da residência, jogou o cabo da faca utilizada no crime no tanque, tomou um banho para limpar o sangue, passou um perfume, saiu de bicicleta, depois voltou, pegou uma mala com roupas e seguiu rumo ignorado.

De acordo com o delegado, a faca utilizada no crime, quebrou e a lâmina ficou cravada no local do ferimento. O corpo da vítima ficou estirado ao lado do portão, na entrada da residência. Antes de fugir, para dificultar a descoberta do que havia feito, o assassino trancou o portão e quebrou a chave dentro da fechadura.

Testemunhas, na vizinhança, contam que ouviram muitos gritos precedidos de uma forte discussão. O corpo da vítima foi encontrado no início da manhã desse sábado por um vizinho, que em seguida chamou a Polícia Militar. A equipe policial, sob o comando do subtenente Gilson chegou rápido ao local e preservou a área até a chegada do IML.

Foi a equipe do Instituto Médico Legal, de Iporá, que atendeu a ocorrência. Depois de acionar um chaveiro para romper a fechadura do portão, os profissionais realizaram os procedimentos de praxe, periciando o local do crime e recolheu o corpo da vítima.

Uma multidão de curiosos se aglomerou na região. De acordo com informações de uma amiga, o casal estava morando junto naquele local há pouco mais de um mês e que os dois mantinham uma relação relativamente conturbada. Segundo familiares e amigos de Káryta, ela vivia com o assassino já há algum tempo, inclusive contra a vontade dos pais.  

A motivação do crime ainda não foi esclarecida. Até o início da tarde desse sábado a polícia ainda não havia localizado Valdivino de Jesus Damas. A Polícia Civil e a Polícia Militar estão empenhadas no encalço do suspeito. A prisão dele a qualquer momento não é descartada.

Uma das imagens que emocionaram muitas pessoas foi a do pai da vítima, desolado, acompanhando os trabalhos da equipe do IML. Com uma dor exposta no semblante, ele parecia não acreditar no que estava vendo. Saber que a filha, com uma vida cheia de planos pela frente, morrer de uma forma tão violenta.

Leia matéria completa sobre o caso no Jornal A Voz do Povo, impresso, que irá circular na próxima semana.

Por Edivaldo do Jornal