Por falta de pagamento, a prefeitura de São Luís de Montes Belos ficou uma semana com o fornecimento de combustíveis bloqueado pela empresa Prime Consultoria e Assessoria Empresarial Ltda., responsável pela gestão da frota de veículos e máquinas do município, através de cartão eletrônico (crédito), da marca Fit Card.

No dia 12 de setembro, motoristas do município foram ao Posto WD para abastecer e tiveram uma surpresa desagradável. Na hora de passar o cartão o sistema não liberou o pagamento. O mesmo aconteceu no Posto Farol II, na sexta-feira, dia 14. Um servidor abasteceu a motocicleta da fiscalização urbana e teve que retirar o combustível do tanque porque o cartão também foi recusado.

Nem mesmo os veículos das Secretarias de Educação e Saúde foram poupados do bloqueio dos cartões causando vários transtornos. Os alunos da rede municipal de ensino que necessitam do transporte escolar foram os mais prejudicados. Muitos perderam vários dias de aulas. Nesta quinta-feira, 20, toda a frota desse transporte ficou parada.

Na secretaria de Saúde a situação só não foi pior porque o órgão passou a abastecer por conta própria (notinhas). Assim as ambulâncias não pararam e os pacientes que precisaram foram atendidos. A situação inusitada chamou a atenção e deixou servidores preocupados, principalmente quem atua na área da saúde. “Confesso que esta é a primeira vez que vejo isso acontecer”, disse um servidor.

Nas redes sociais o assunto se polemizou. Confira.

Helen CrisIsso é verdade… Minha filha não foi pra escola ontem e nem hoje por falta de ônibus. Falaram que tava quebrado. Isso é uma vergonha”.

Divina SantosNossa, lamentável mesmo meu amigo. Minha filha estuda e depende da Kombi… Imagina as ambulâncias sem combustível”...

Meire Cristina “Que venha 2020!!! Uma nova história pra São Luís nunca mais”.

Maria Sonimar CorreaEssa é a nova história que a atual administração pregou nos palanques e a maioria dos monte-belenses escolheu. Agora que arquem com suas más escolhas”.

Vania DedéUma vergonha, ontem já não teve transporte escolar!”.

Flavia RamosÉ uma falta de vergonha. Porque quem fica prejudicado somos nós, e os filhos dele tem carro particular, então não precisa, vamos resolver isso, Prefeito, o mais rápido porque não tem como fica assim”.

Bismarck B-horSemana de provas ! Parabéns ao administrador municipal!!”.

Valquiria Maria FaustinoVergonha prefeito, pois tenho uma netinha que fica na creche e precisa de ir, e como ficam os pais que precisam de deixar seus filhos na creche e na escola para ir trabalhar?”

Adevande Santana de AraujoMas o Secretário não era o cara? Tem um ditado americano que fala: Se conhece o verdadeiro, nas horas difíceis, nas horas boas, não passa de um fanfarreio”.

Rosy Alves – “Isso é uma vergonha e quem paga são os alunos que usam o transporte escolar. Lamentável a situação da nossa cidade”.

De acordo Gláucio de Almeida Peres, que responde interinamente pela Secretaria Municipal de Administração, o problema já está resolvido. Segundo ele, a situação foi causada por uma nota fiscal da Secretaria Municipal de Saúde que não foi paga no tempo hábil, fazendo com que a empresa, cumprindo uma cláusula contratual, bloqueasse os cartões.

Gláucio afirma que nesta quinta-feira, 20, o problema foi sanado e os cartões foram liberados. Ele diz ainda que nesta sexta-feira, 21, todos os veículos do município voltam a abastecer normalmente com os Cartões da Fit Card. Antes, porém, ele ressalta que mandou recolher os referidos cartões para fazer um levantamento dos seus gastos até da data do bloqueio.

A Prime Consultoria e Assessoria Empresarial Ltda. foi contratada pela prefeitura de São Luís depois ser vencedora do Pregão 006/2018 e a partir de março desse ano ela faz toda a gestão do abastecimento da frota municipal. O contrato, por de um ano, é no valor de R$ 3.027.697,73. O valor é para custear todo o combustível utilizado e a empresa recebe 1% de taxa de administração.

A mudança na forma de abastecer os veículos e máquinas do município aconteceu depois que um suposto esquema fraudulento na área foi denunciado pelo vereador Alex dos Garis. Onde, segundo ele, cerca de R$ 1 milhão de reais podem ter sido desviados dos cofres públicos com o pagamento de combustíveis durante o ano de 2017.

De acordo com levantamento feito pelo vereador, várias máquinas e veículos desativados e sem uso há anos, constavam das planilhas de abastecimentos pagos pela prefeitura. Documentção fornecida pelo Tribunal de Contas dos Municípios reforçam as suspeitas da fraude.  

O caso está sendo investigado pelo TCM, Polícia Civil e Ministério Público. Nos próximos dias é possível que novidades sobre as investigações sejam publicadas. Existe ainda a suspeita de que o esquema criminoso não tenha começado na gestão do prefeito Major Eldecírio. Que a ponta do novelo esteja em outra ou em outras gestões.

Por: Edivaldo do Jornal