“A pesca esportiva é importante economicamente para nosso estado e para o país”, avalia Daniel Vilela

[post-views]

Em evento que marcou o lançamento do calendário de torneios de pesca 2024, o vice-governador destacou potencialidades goianas e o fortalecimento para o setor de turismo

A busca por destinos ricos em belezas naturais se tornou uma tendência entre turistas do mundo todo. E neste contexto, Goiás tende a se destacar cada vez mais, segundo o vice-governador de Goiás, Daniel Vilela. A afirmação foi feita durante o evento que marcou o lançamento do calendário de torneios de pesca 2024, com anúncio de investimentos nos circuitos e competições, na manhã desta segunda-feira (19), em frente ao Palácio das Esmeraldas. Para ele, o estado tem potencial para receber pescadores profissionais e amadores de todo o Brasil, se tornando referência em pesca, junto com a bacia Amazônica e o Pantanal.

“É uma tendência de comportamento: o mundo inteiro tem buscado um turismo de natureza, fazendo suas férias com a família longe dos centros urbanos e cidades tradicionais. A pesca esportiva é muito importante do ponto de vista econômico para nosso estado e para nosso País”, declarou.

O ministro da Pesca e Aquicultura, André de Paula, esteve no evento e ressaltou a importância da modalidade, “porque representa uma pesca sustentável, que cuida do meio ambiente, gera recursos, gera empregos, gera satisfação e vínculos afetivos, porque as pessoas que fazem pesca esportiva são apaixonadas”. Ele ainda destacou que os investimentos feitos pelo governador Ronaldo Caiado na segurança pública e na infraestrutura rodoviária ajudam a contribuir com a prática, uma vez que atrai turistas. 

Pelo terceiro ano consecutivo, o Governo de Goiás vai patrocinar torneios de pesca esportiva, que começam em março e vão até outubro. O investimento supera o valor de R$ 1,2 milhão nos dois maiores eventos voltados à pesca esportiva, como forma de alavancar o setor. O Circuito Goiano de Pesca Esportiva prevê a realização de oito etapas em sete municípios: Três Ranchos, Buriti Alegre, Alexânia, Luziânia, Catalão, São Simão e Niquelândia. Já o Circuito Gigantes do Araguaia será realizado em três municípios: Aruanã, Nova Crixás (distrito de Bandeirantes) e São Miguel do Araguaia (distrito de Luiz Alves).

Além disso, outros quatro eventos já contam com apoio do Executivo estadual:  “O melhor pescador do Brasil”, de Três Ranchos; “Tucuna Queen”, no mesmo município e voltado para mulheres;  “Tucuna Challenge, que será disputado em Alexânia, Flores de Goiás e Abadiânia;  e o “Encontro de Pescadoras”, que será realizado em Bandeirantes.

Presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, destacou que há três pilares no quais se apoiam o projeto goiano de investimento da pesca esportiva: “sustentabilidade ambiental, segurança pública – que garante a tranquilidade  de quem vem a Goiás para pescar -, e, por fim, geração de emprego e renda, com consumo nos municípios de hotéis, restaurantes e da cadeia de serviço”.

Pesca Esportiva

A pesca esportiva é uma variação da pesca recreativa, a pescaria realizada como uma atividade de lazer, sem que dela dependa a subsistência do pescador. Ou seja, é pescar por diversão, com a devolução dos peixes vivos para a água.  O turismo em torno da modalidade movimenta mais de 50 segmentos da economia – do anzol, linhas, caniço, barco, motor, passando pelo transporte, hotelaria, restaurantes, supermercados, criando produtos específicos no vestuário, calcados e assessórios, consumindo fortemente os cosméticos com protetor solar e repelentes, chegando até os serviços locais como guias de pesca, catadores de iscas, guarda barcos dentre outros na economia das comunidades ribeirinhas que são destinos de pesca esportiva.

Em Goiás, a pesca esportiva de tucunarés pode ser realizada nos grandes lagos o ano todo, pois não há interferência de cheia ou seca nos lagos. No Vale de Araguaia, a pesca de várias espécies, inclusive a piraíba, também é realizada o ano todo, exceto no período da piracema (4 meses por ano).  Além das condições naturais, o estado de Goiás tem outras vantagens para o desenvolvimento da prática:  dois aeroportos, sendo um internacional (Goiânia e Brasília); excelente malha rodoviária; curtas distâncias até o destino de pesca (maior distância 600 km de Brasília); grande parque de indústrias náuticas; grande número de lojas especializadas em pesca esportiva  e estrutura de receptivo com pousadas especializadas.

Fonte: Vice-Governadoria | Governo de Goiás

PROPAGANDA
[xyz-ips snippet="galeria"]

Compartilhar