X

São Luis de Montes Belos 20 de Novembro de 2019 - Total de Acessos 8852401

Mulher acusa primo do ex-companheiro de tentativa de homicídio, em Goiás

Visualizações: 538

Mulher acusa primo do ex-companheiro de tentativa de homicídio, em Goiás

Caso aconteceu em agosto deste ano. Vítima afirma que foi agredida com socos e pedradas e alega que ex-sogra tomou o filho dela.

 

Uma mulher de 24 quatro anos foi espancada e teve o rosto deformado na cidade de Goiás, a 172 km de Goiânia. O crime foi cometido em agosto deste ano. Ela acusa o primo do ex-companheiro, Clesiomar Clemente da Costa, de tentativa de homicídio e afirma que foi agredida com socos e pedradas. O desentendimento aconteceu por que a vítima, Larissa Francisca da Silva, queria o filho de volta.

 

A jovem conta que relacionamento entre ela e o primo do suposto agressor acabou em abril. O bebê dela, que tem apenas nove meses, teria sido levado pela ex-sogra para um local desconhecido. Ela conta que em agosto descobriu o paradeiro da criança e ameaçou denunciar a família.

 

Depois disso, Clesiomar a convidou para encontrar a criança. Ela conta que a agressão começou quando chegaram a uma estrada de terra. A vítima sofreu vários ferimentos no rosto, pescoço e nas costas. Vários dentes dela foram quebrados.

 

“Ele me deu muita pedrada aqui, olha a cicatriz. Isso aqui ficou fundo, no osso. Eu acredito que o objetivo dele era me levar para me matar. Um dia antes dele fazer isso comigo, eu ia entrar na Justiça para processar a tia dele”, conta a vítima.

 

Tentativa de homicídio

Larissa foi socorrida por uma unidade do Samu e encaminhada para o hospital, onde ficou internada por 17 dias. Sete deles foram na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Depois disso, ela se mudou da cidade por medo de ser assassinada.

 

O suposto agressor foi indiciado pela Polícia Civil (PC) por tentativa de homicídio, mas teve o pedido de prisão negado pela Justiça. De acordo coma corporação, a justificativa dada seria de que Clesiomar tem bons antecedentes e endereço fixo. Além disso, sua prisão contrariaria a nova Lei de Abuso de Autoridade, que pune o magistrado que decretar a prisão de alguém fora do que é considerado legal.

 

Esta reportagem entrou em contato com o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), para ter acesso à decisão que negou o pedido de prisão do suspeito. A assessoria de imprensa informou que não consta nada em nome do suspeito no sistema e que, possivelmente, o caso está em segredo de Justiça.

 

Fonte: Mais Goiás

×
Aqui o Povo Fala
(64) 9695-1676
Jornal A Voz do Povo
(64) 3671-3413

Aqui o povo fala envie sua mensagem/notícia.