X

São Luis de Montes Belos 17 de Fevereiro de 2019 - Total de Acessos 8239077

Orientação do MP causa polêmica no transporte escolar de Firminópolis

Visualizações: 119

Orientação do MP causa polêmica no transporte escolar de Firminópolis

Segundo o secretário municipal de educação do município de Firminópolis, Umberto José de Moraes, mais conhecido por “Beto Calango”, depois de ser orientado pelo promotor de justiça Dr. Ricardo Lemes, ele foi obrigado a interromper a maior parte do transporte escolar dos alunos da zona urbana e dos que estudam em São Luís de Montes Belos. Com exceção dos que fazem faculdade.

 

De acordo com Calango, para o Ministério Público transportar alunos para outro município para estudarem em escolas que oferecem a mesma série de escolas de Firminópolis não se justifica. É uma prática ilegal. O mesmo, segundo ele, acontece com alunos beneficiados com o transporte escolar sendo que o mesmo reside a poucas quadras da escola que estuda. “O promotor deixou bem claro que somos obrigados a fornecer o transporte para alunos que moram distante da escola que ele estuda”, ressalta.

 

O secretário conta que o promotor chegou a sugerir, a título de solução do problema, que ele crie um fundo a ser mantido por alunos universitários que usam esse transporte. “Esse fundo teria o objetivo único de manter financeiramente os custos do transporte escolar”, diz.

 

O secretário destaca que a orientação do MP foi contundente. “O promotor foi bem claro, se nós continuássemos transportando os alunos da forma em que estávamos, nós poderíamos ter que responder judicialmente por isso. Para ele, os pais têm todo o direito de levar o filho para onde quiserem, desde que assumam o ônus e não o município”, disse o secretário, que afirmou que assumiu a Secretaria para fazer a coisa certa, jamais desrespeitar as Leis.

 

Beto Calango ressalta que, juntamente com o prefeito, esteve reunido com um grupo de aproximadamente 20 pais e mães discutindo o problema. Ocasião em que ele deixou bem clara a situação. “Eu tenho certeza que esse momento turbulento vai passar e nós vamos lá na frente respirar aliados por termos cumprido o que a Lei manda”, destaca Calango.

 

Um grupo de mães também programou uma manifestação em frente à prefeitura para cobrar providências na solução do problema, mas acabou não acontecendo. Essas mães foram recebidas na Câmara Municipal por alguns vereadores e discutiram o assunto, mas a situação continua da mesma forma. O Ministério Público é o próximo passo.

 

O prefeito Jorge José de Souza, ao lado de Beto Calango, do secretário de administração e de sua assessoria jurídica também esteve no MP tratando do assunto. Ele também falou com esta reportagem. O prefeito conta que está numa situação delicada. Por um lado, ele quer atender a todos os alunos, mas por outro ele não pode desobedecer uma orientação do MP, com o qual ele conta ele já tem tantos problemas.

 

Jorge já foi acionado pelo MP em outros procedimentos no Poder Judiciário e, segundo ele, o que for preciso fazer para evitar quaisquer irregularidades, será feito. Esta reportagem também falar com o promotor Ricardo Lemes por duas vezes, mas ele não se encontrava em seu gabinete.

 

Por: Edivaldo do Jornal

×
Aqui o Povo Fala
(64) 9695-1676
Jornal A Voz do Povo
(64) 3671-3413

Aqui o povo fala envie sua mensagem/notícia.