X

São Luis de Montes Belos 25 de Janeiro de 2020 - Total de Acessos 8992792

PM é preso após ser condenado por estupro de criança em Rio Verde

Visualizações: 267

PM é preso após ser condenado por estupro de criança em Rio Verde

TJ-GO determinou que Paulo Batista Mota cumpra 20 anos de reclusão em regime fechado e perca a função pública. Ele ainda é suspeito de matar um jovem e jogar o corpo em uma cisterna.

 

O cabo da Polícia Militar Paulo Batista Mota, de 46 anos, foi preso na segunda-feira (13) devido à condenação pelo estupro cometido contra uma criança de 10 anos em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. Conforme a sentença, ele deve cumprir 20 anos de reclusão em regime fechado.

 

A Polícia Militar de Goiás informou, em nota, que, "assim que tomou conhecimento do fato, o referido policial foi preso e submetido a um Conselho Disciplinar que decidiu pela exclusão dele dos quadros da instituição". A corporação "reitera que não admite desvios de conduta de nenhum de seus membros e que todas as denúncias procedentes são rigorosamente apuradas na forma da lei".

 

Advogado de Mota, Alessandro Gil Moraes Ribeiro informou que o cliente está detido no Batalhão Anhanguera, em Goiânia, à disposição do juízo criminal de Rio Verde. Ele explicou que o caso se encontra em segredo de Justiça e, por isto, não é possível informar detalhes sobre o processo, que já foi transitado em julgado, ou seja, teve a decisão definitiva.

 

“A defesa entra agora para acompanhar o cumprimento de pena e fazer um estudo posterior para avaliar se cabe a interposição de habeas corpus”, afirmou o advogado.

 

O abuso aconteceu em 2012. A primeira decisão, conforme consta no sistema do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), foi dada em fevereiro de 2017, na Comarca de Rio Verde, e determinava uma pena de 20 anos de reclusão em regime fechado. No entanto, previa que ele recorresse às instâncias superiores em liberdade.

 

A defesa de Mota recorreu e, em 2018, a 1ª Câmara Criminal do TJ-GO analisou o pedido. Na ocasião, os desembargadores mantiveram a pena determinada em primeira instância e decretaram a prisão do réu, além da perda da função pública. Depois, segundo o advogado, não houve novo recurso.

 

O mandado de prisão foi expedido pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, em 19 de dezembro de 2019.

 

Outro processo

Mota ainda é suspeito de matar Glendon da Silva Alves, de 20 anos, após uma briga por causa de uma bicicleta, em fevereiro de 2019, em Rio Verde. O corpo da vítima foi achado dentro de uma cisterna.

 

À época, ele chegou a ser preso, mas foi solto e responde ao processo em liberdade, mediante o cumprimento de medidas cautelares impostas pelo Poder Judiciário.

 

“Ante o princípio constitucional da presunção de inocência, vale mencionarmos que nesta ação inexiste sentença condenatória e que não há previsão de realização de julgamento do mesmo, não estando ele preso em decorrência de referido processo”, defende o advogado.

 

Fonte: G1/Goiás

×
Aqui o Povo Fala
(64) 9695-1676
Jornal A Voz do Povo
(64) 3671-3413

Aqui o povo fala envie sua mensagem/notícia.