X

São Luis de Montes Belos 20 de Novembro de 2019 - Total de Acessos 8852364

Preso suspeito de fingir ser delegado para conseguir dados de boletins de ocorrências e aplicar golpes

Visualizações: 756

Preso suspeito de fingir ser delegado para conseguir dados de boletins de ocorrências e aplicar golpes

Ele cobrava até R$ 2 mil das vítimas e dizia que devolveria carros e motos roubados. Suspeita é que ele teve acesso a informações de cerca de 200 vítimas.

 

A Polícia Civil de Goiás prendeu um homem suspeito de se passar por um delegado para conseguir acesso a dados sigilosos de boletins de ocorrência e aplicar golpes em vítimas de furtos e roubos de veículos. As investigações apontaram que ele cobrava entre R$ 1,5 mil e R$ 2 mil alegando que devolveria os carros e motos.

 

Fernando Ribeiro de Souza, de 49 anos, foi preso na terça-feira (22). “Ele ligava para delegacias de todo país, usava o nome de um delegado que trabalha no Entorno do Distrito Federal, pedia dados dos boletins por e-mail, telefone ou Whatsapp. Ele teve acesso a cerca de 200 boletins de ocorrência”, explicou o delegado Paulo Ludovico.

 

G1 não conseguiu localizar a defesa do preso até a última atualização dessa reportagem.

O suspeito chegou a ser preso em 2016 suspeito de agir da mesma forma para aplicar golpes. Em 2017, as primeiras vítimas começaram a surgir, quando Fernando ainda estava preso. Em 2018, ele foi solto e se mudou para Planaltina, no Distrito Federal. A suspeita é que, mesmo preso, ele continuava com os crimes.

 

“Enquanto ele estava preso, ele foi flagrado duas vezes usando celular. E quando saiu, seguiu aplicando os golpes. Temos a confirmação de cinco pessoas que pagaram os valores e mais 11 que ele tentou enganar, mas as vítimas não fizeram o depósito. Mas o número de casos pode chegar a 200”, disse o delegado.

 

O homem foi preso em casa e transferido para o presídio de Luziânia. Segundo o delegado, durante o depoimento, o suspeito disse que não aplicava os golpes e falou que o crime era cometido por outras pessoas. Ele vai responder pelo crime de estelionato.

 

Paulo Ludovico acredita que a prisão do suspeito é importante para que as vítimas de estelionato fiquem atentas para não fazerem os pagamentos dos valores cobrados e denunciarem o crime à Polícia Civil. Além disso, é um alerta para que os próprios policiais redobrem o cuidado ao divulgar informações.

 

Fonte: G1/Goiás

×
Aqui o Povo Fala
(64) 9695-1676
Jornal A Voz do Povo
(64) 3671-3413

Aqui o povo fala envie sua mensagem/notícia.