Autorizações para compra de armas por civis chega 46 milhões no Brasil

[post-views]

O contingente total de CACs — caçadores, atiradores e colecionadores — triplicou desde 2019

 

Três anos depois do início da flexibilização de armas no país, o Brasil já tem 46 milhões de permissões concedidas a caçadores e atiradores. É como se um a cada cinco brasileiros estivesse autorizado a ter uma arma. O cenário revela que hoje há 605,3 mil pessoas — se incluídos também os colecionadores —, que têm carteirinhas ativas para acesso a armamento, inclusive pesado, e munição.

Isso é mais do que o total do efetivo de PMs em ação no país, que hoje chega a 406,3 mil agentes, ou de militares em serviço, que somam 357 mil pessoas nas Forças Armadas.

O contingente total de CACs — caçadores, atiradores e colecionadores — triplicou desde 2019. Hoje, é 1,25 milhão de registros ativos. O número supera o de pessoas autorizadas a ter arma porque cada integrante das três categorias pode ter um registro sobreposto. Ou seja, um caçador também pode ser atirador ou colecionador, por exemplo.

Outro aspecto é que o total de armas autorizadas para cada registro aumentou desde 2018. Um caçador pode ter até 30 armas e um atirador esportivo, 60, depois que uma série de restrições foi derrubada.

O total de 46 milhões de permissões para aquisição de armamento é 1.451% maior do que a comercialização consentida em 2018, um ano antes das mudanças legais. Naquele ano, o montante girava em torno de 3 milhões de armas autorizadas a caçadores e atiradores. Com relação às munições liberadas para aquisição por essas categorias, o salto é ainda maior. A venda permitida atualmente é de 138,5 bilhões de unidades, 1.548% mais do que as 8,4 bilhões autorizadas naquele ano.

Fonte: Jornal Opção

PROPAGANDA
[xyz-ips snippet="galeria"]

Compartilhar