Brincadeira com álcool entre crianças termina em tragédia, em São Luís de Montes Belos

Uma perigosa brincadeira entre dois irmãos acabou da pior forma, na tarde desta terça-feira, 11, por volta de 14h30, no Setor Brisas, em São Luís de Montes Belos. G., de 9 anos, brincava com a irmã A., de 10 anos, com um frasco de álcool jogando o líquido um no outro, quando a menina teria acionado o fogo através de um isqueiro, momento em que as chamas se alastraram nos dois.

Esta foi a versão contata pelo próprio garoto G. a uma das pessoas que o atendeu. O fato aconteceu dentro da casa onde os irmãos e a família residem. No momento em que aconteceu a tragédia, em desespero, G. saiu para fora da residência, foi até a casa de uma vizinha e pediu socorro.

Quando percebeu a gravidade da situação, a vizinha saiu em socorro ao garoto. Desesperada ela conseguiu levar a criança ao HCamp – Hospital de Campanha de São Luís de Montes Belos. Em seguida, outra vizinha chegou com a irmã de G., também em estado delicado. Depois de receberem os primeiros atendimentos, os irmãos foram encaminhados para o HUGOL – Hospital de Urgências Governador Otávio Lage, em Goiânia.

Fernanda, acompanhou os filhos. A mãe conta que no momento do acidente ela não estava em casa. Ela relata que havia ido à Unidade Básica de Saúde (UBS) da sua região para levar alguns exames dos filhos e solicitar do médico um laudo para que G., portador de comorbidade, pudesse ser vacinado contra a Covid-19. Ela ficou sabendo da tragédia na UBS.

Fernanda disse ao A Voz do Povo que tinha deixado os filhos sob os cuidados de uma vizinha e que ela somente foi à UBS naquele horário porque o número de atendimento médico na unidade é limitado, somente 10 pessoas por dia. Ela havia levado consigo um garotinho de colo, seu netinho.

G. e A., que são hiperativos e usam medicamentos controlados, estão internados no mesmo Hospital, na capital goiana. O garoto está na UTI, intubado e seu estado é considerado muito grave. A. passou por uma cirurgia, raspagem de pele, e a sua situação é considerada regular, porém inspira cuidados.

De acordo com uma fonte, G. sofreu queimaduras em quase todo o corpo, mas a parte mais afetada foi a face e na região dos olhos. Ainda, segundo essa fonte, os médicos classificaram as próximas 24 horas como cruciais para definir a real situação do garoto.

Diante da precária situação financeira da família, o Jornal A Voz do Povo resolveu criar, pelas redes sociais, uma campanha solidária para a arrecadação de dinheiro para que a mãe possa custear suas despesas em Goiânia e com medicamentos para as crianças assim que elas sairem do hospital. Quem estiver disposto a ajudar esta família é só entrar em contato pelo Zapp: 64. 99695-1676 e saber como colaborar.

Por: Edivaldo do Jornal / Foto: Ilustrativa

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email