Cabeleireira e marido depõem por 3 horas em apuração sobre vídeo de sexo durante show de Henrique e Juliano após denúncia de estupro

[post-views]

A cabeleireira Géssica Gomes dos Santos, de 31 anos, e o marido dela prestaram depoimento durante cerca de três horas na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Goiânia, nesta quarta-feira (22). Segundo o advogado que os acompanhou, Gustavo Neves, a corporação investiga o vídeo em que ela aparece fazendo sexo com um desconhecido durante o show da dupla Henrique e Juliano após denúncia de que a mulher teria sido vítima de estupro na situação.

“Ela contou que não se lembra do que aconteceu e que só ficou sabendo de tudo no outro dia, quando mandaram o vídeo para ela. [O marido dela] também contou que estava lá, mas não se lembra de nada”, contou o advogado.
Gustavo contou que chegou à Deam com o casal às 9h e foram embora por volta de 12h. Neste período, segundo ele, a Polícia Civil também ofereceu à vítima atendimento psicólogico e encaminhamento médico.
O show aconteceu no último dia 5 de junho. Géssica conseguiu registrar o caso na Deam de Aparecida de Goiânia no dia 13 do mesmo mês.
Géssica já havia contado ao g1 que, além de ter a imagem exposta, também teve dados pessoais, como telefone e endereço, compartilhados. Por isso, passou a ter dificuldades para conseguir trabalhar e recebeu diversas críticas, julgamentos e xingamentos de pessoas que ela não conhece.
Casada e mãe de duas meninas – uma de 7 anos e outra de 15 –, a cabeleireira disse que a família inteira foi afetada pela divulgação das imagens e pela versão que foi divulgada na web, ela não sabe por quem.
“Eu lembro de estar bebendo cerveja, depois de uma luz no meu rosto e de falar ‘apaga a luz’, mas não tinha noção do que estava acontecendo, muito menos de que tinha alguém filmando”, disse.

“Minha vida não é mais a mesma depois dessa exposição toda”, desabafou.
Segundo a cabeleireira, o vídeo em que ela aparece sendo abusada foi repassado junto a um relato de que ela e o marido ganhariam uma garrafa de uísque em troca de sexo. No entanto, ela afirma que essa versão não é verdadeira e que não se lembra de nada do que aconteceu, suspeitando que tenha sido dopada.

Géssica contou que estava com o marido e que ele também não tem nenhuma memória do que aconteceu. Segundo ela, o esposo também tem sido alvo de chacota e, mesmo estando no local com ela, não teve nenhuma reação porque não entendia o que estava acontecendo.

“Eu jamais faria uma coisa dessas, nem uísque eu bebo. Meu marido também nunca deixaria isso acontecer. Quem filmou e enviou o vídeo também divulgou meus perfis nas redes sociais e meu número. […] Espero que seja feita justiça, que esse povo que está me difamando pague”, se defendeu.

Fonte: G1 Goiás

PROPAGANDA
[xyz-ips snippet="galeria"]

Compartilhar