Check-up pós-Covid: quando é necessário e quem deve fazer, segundo especialistas

Persistência de sintomas após a infecção precisam ser avaliadas; descobertas podem contribuir para evitar complicações

O aumento dos casos de Covid-19 longa, que é quando sequelas da doença permanecem mesmo depois do fim da infecção, abriu espaço para um novo tipo de serviço de medicina diagnóstica, o check-up pós-Covid. Alguns laboratórios de análises clínicas criaram pacotes de exames que prometem investigar as causas das sequelas e ajudar na prevenção de complicações.

Mas este tipo de check-up é indicado somente para quem permaneceu com algum sintoma da Covid-19 que traz piora da qualidade de vida. Pessoas que tiveram as formas moderadas e graves da doença também podem ser beneficiadas com a investigação, desde que mantenham um acompanhamento médico, afirma o infectologista Paulo Abrão, professor de Infectologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e membro da Sociedade Brasileira de Infectologia.

“Não faz sentido todo mundo que teve Covid-19, que são milhões de pessoas, fazer um check-up, porque a saúde pública e privada não aguentam. Quem teve Covid-19 tem que ter uma autopercepção se a saúde voltou a ser como era antesid ou não. Nestes casos, é importante uma avaliação”, diz Abrão.

Quem deve fazer

Para a infectologista Raquel Muarrek, da Rede D´Or, é importante quem teve Covid-19 fazer algum tipo de avaliação médica na permanência de sintomas sentidos durante a fase aguda da doença, e principalmente entre os que passaram por internação.

“O paciente que foi internado pode ter focos pulmonares ainda, alterações trombóticas que é realmente necessário fazer um segmento adequado. Já quem teve Covid-19 leve, sem acometimento de órgãos na fase aguda, deve fazer uma avaliação somente se tiver algo sequencial”, diz.

Segundo a infectologista, exames laboratoriais, como de sangue, ou de imagem, como um ecocardiograma, podem avaliar se houve alguma alteração no sistema imunológico após a Covid-19 ou alterações cardíacas, que têm se apresentado como sintomas da síndrome pós-Covid.

“O ideal é fazer uma consulta médica para avaliar se o paciente está com a imunidade estável ou se manteve os quadros infecciosos, alguém que peça e avalie os exames”, afirma.

Causa das sequelas

Algumas sequelas apresentadas após a Covid-19 podem não ser exatamente pela infecção pelo SARS-CoV-2, mas consequência do tempo de internação ou de outras doenças preexistentes, o que, na visão de Abrão, indica cautela sobre a necessidade do check-up.

“Quanto mais grave a infecção por Covid, maior a chance de sequelas, pelas consequências da internação em si, porque o paciente intubado fica a base de muitos fármacos. O vírus deve causar algo, mas boa parte das sequelas que vemos é porque o paciente ficou em estado grave, não dá para atribuir tudo ao pós-Covid”, alerta.

O infectologista explica que casos de internação longa por Covid-19 podem causar sequelas respiratórias, neurológicas e motoras.

As sequelas respiratórias pelo fato de o coronavírus inflamar os pulmões; as neurológicas pelo contato com o vírus, que aumenta o risco de derrames até problemas cognitivos, como dificuldades de raciocínio e de memória, de concentração ou insônia, além de mudança de humor e alterações psiquiátricas que desencadeiam um estresse pós-traumático, depressão e síndrome do pânico.

Há outras sequelas que podem causar alterações no sistema nervoso periférico, que causam fadiga, dores musculares e nas articulações, explica Abrão.

O que consta no check-up pós Covid

Os laboratórios selecionam os exames segundo os sintomas mais recorrentes relatados nas pesquisas científicas sobre Covid-19 longa e levando em conta também as queixas mais comuns de clientes. Todos são indicados somente para maiores de 18 anos.

O laboratório Fleury Medicina Diagnóstica observou um aumento na demanda de diferentes pedidos de exames com o intuito de investigar as causas dos sintomas pós-Covid-19. Na maioria, homens executivos, na faixa dos 40 a 50 anos, que apresentavam sintomas muitos semelhantes.

O check-up para os homens custa R$ 3.790 e para as mulheres R$ 4.550, devido à necessidade da realização de exames da saúde da mulher, segundo o laboratório.

“As queixas principais costumam ser fadiga que não passa, diminuição da resistência física, problemas cardiovasculares e pulmonares, prejuízo da atenção e da memória, queda constante de cabelo, além do impacto psicológico”, diz o infectologista Celso Granato, diretor-clínico do Fleury.

Com estes dados em mãos, o laboratório criou o check-up pós-Covid que oferece sorologia do SARS-CoV-2, exames de sangue que vão medir possíveis alterações metabólicas, além de exames cardiopulmonares, além de testes cognitivos e avaliação com otorrinolaringologista, para os casos de perda de olfato e paladar.

O check-up dura, em média, três horas, pelo qual o cliente passa primeiro por avaliação física e relato dos sintomas, e na sequência faz os exames de sangue, de imagem, os testes de esforço até a avaliação final com um clínico geral.

“Os pilares dos exames clínicos envolvem a avaliação de possíveis lesões cardiovasculares que podem ocorrer após a Covid-19, como arritmia e miocardite; uma avaliação clínica pulmonar através de exames de tomografia de tórax e por cintilografia pulmonar, capazes de detectar ou descartar alguma infecção ou embolia pulmonar, além de um ecocardiograma e os exames de sangue”, diz Granato.

A cardiologista Paola Smanio, coordenadora do check-up do Fleury, afirma que a bateria de exames também tem a função de detectar comprometimentos que o próprio cliente não sabia que tinha, com o intuito de evitar complicações futuras.

“Fazendo um ecocardiograma, mesmo nos mais jovens, podemos descobrir uma miocardite assintomática, alguma piora na função que pode justificar o cansaço relatado. E no teste cardiopulmonar, podemos diferenciar se este cansaço é alguma alteração no coração ou nos pulmões”.

Investigação após infecção

O Labi Exames criou um check-up com 16 exames de análises clínicas que avaliam alterações no fígado, sangue, rins, sistema imunológico e inflamatório, além dos anticorpos potencialmente produzidos após a infecção. Todos coletados por exame de sangue. O valor do check-up é de R$ 175.

O laboratório, que lançou o check-up em março deste ano, indica a realização dos exames a partir do 14 dia dos sintomas da Covid-19, quando a produção de anticorpos passa a ser maior.

“Orientamos que se façam os exames em até três meses após o término da doença, porque é dentro deste período que ocorrem as alterações [no organismo] quando elas existem”, afirma Aline Scarabelli, consultora médica e infectologista do Labi Exames.

Segundo Scarabelli, a maioria dos clientes que procura pelo check-up do laboratório são mulheres na faixa dos 30 a 50 anos, relatando fadiga, falta de ar e alterações no paladar.

“Se os exames demonstrarem alteração, a equipe médica entra em contato para orientar um auxílio médico, porque os exames são uma orientação técnica que não dispensa o cuidado médico”, afirma.

Check-up não substitui avaliação médica

O Alta Excelência Diagnóstica também passou a oferecer recentemente um check-up pós-Covid-19 no mês passado. O valor do pacote de exames associado à avaliação médica é de R$ 3.500.

Os clientes que mais procuram o serviço são os da faixa entre 40 e 60 anos, relatando fadiga, falta de ar, dificuldade de manter o fôlego na prática esportiva, explica Raffael Fraga, cardiologista e coordenador do check-up médico do laboratório.

Os exames são divididos em exames laboratoriais de sangue, de imagem, de esforço e com médicos cardiologistas, neurologistas, pneumologistas e um otorrinolaringologista para avaliar diferentes pontos.

“Avaliamos risco de trombose com prova de função pulmonar, tomografia de tórax, teste ergométrico, para avaliar inflamação dos músculos cardíacos, além da avaliação médica. Com a possibilidade de evoluir para outros exames se surgirem complicações”, afirma Fraga.

Segundo o cardiologista, o check-up pós-Covid-19 difere dos tradicionais que são preventivos. Sua função é fazer um acompanhamento e um direcionamento se houver necessidade.

“O check-up comum tem exames que privilegiam a prevenção. Já o pós-Covid-10 é direcionado a partir das queixas da Covid-19 longa e está desenhado com o objetivo de investigar o estado atual de saúde do paciente”.

Fonte: CNN Brasil

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email