Com apoio policial Ministério Público realiza varredura em entidade presidida por Padre Robson

[post-views]

Ação do MP-GO cumpre 16 mandados de busca, inclusive, em imóveis de luxo vinculados ao padre Robson, presidente da entidade. Valor movimentado nas contas da Associação Filhos do Pai Eterno, na última década, chega a R$ 2 bilhões.

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) deflagrou na manhã desta sexta-feira (21) uma operação para apurar irregularidades na Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). A entidade é responsável pelo Santuário Basílica de Trindade, cidade na Região Metropolitana de Goiânia conhecida como a “capital da fé” do estado. São cumpridos 16 mandados de busca e apreensão, inclusive, em imóveis luxuosos ligados ao padre Robson de Oliveira Pereira, fundador e presidente da Afipe e reitor da Basílica.

O corpo jurídico da Afipe informou que “não foi pego de surpresa” com a operação e que, no passado, “se colocou à disposição do Ministério Público”. Salientou ainda que o padre Robson acompanhou toda a operação e que tudo segue em “extremo sigilo”.

A Arquidiocese de Goiânia, responsável por Trindade, informou que “está atenta ao trabalho do Ministério Público, espera que tudo seja apurado o mais breve possível e se coloca à disposição para colaborar com a Justiça”.

A operação foi batizada como “Vendilhões”. As ordens foram autorizadas pela juíza Placidina Pires. Participam da operação 20 promotores de Justiça, mais de 50 servidores do MP-GO, quatro delegados, oito agentes e mais de 60 policiais militares.

Crimes investigados:

  • Apropriação indébita

  • Lavagem de dinheiro

  • Falsificação de documentos

  • Sonegação fiscal

  • Associação criminosa

Os mandados são cumpridos na sede da Afipe, empresas e residências em Goiânia e Trindade. O G1 apurou que entre os imóveis ligados ao padre Robson está uma chácara com piscina aquecida. O pároco teria acompanhado o cumprimento de uma das ordens na Casa dos Padres, onde mora.

Em relação a valores, a investigação apontou que nos últimos dez anos foram movimentados nas contas da Afipe cerca de R$ 2 bilhões, sendo a maioria fruto de doações para a construção da nova Basílica da cidade.

“Constatou-se que os gastos de boa parte das doações não tinham vínculo com questões religiosas, mas com outros negócios, como a compra de imóveis, propriedades rurais, cabeças de gado e emissoras de rádio”, diz o MP.

 

De acordo com a denúncia do MP, os pagamentos destinados das Afipes aos grupos de empresas e pessoas só nos últimos três anos, giram em torno de R$ 120 milhões.

Caso de extorsão originou ação

De acordo com o MP, a operação se originou por conta de outra investigação vinculada ao padre Robson. Conforme o apurado, na ocasião, o religioso foi extorquido durante dois meses, em março e abril de 2017, e “utilizou indevidamente recursos provenientes de contas das associações que preside”.

Um hacker chegou a ser condenado por extorquir R$ 2 milhões do padre, ameaçando revelar um suposto caso amoroso do religioso. Porém, a polícia apontou que as mensagens usadas para extorquir o padre eram falsas.

De acordo com as investigações, o dinheiro foi repassado por transferências bancárias e entregas em espécie. Os pagamentos eram feitos em quantias de R$ 50 mil a R$ 700 mil. Em alguns casos, o valor era deixado dentro de um carro na porta de um condomínio ou no estacionamento de um shopping da capital. Uma das entregas foi supervisionada pela Polícia Civil a fim de identificar e localizar todos os criminosos.

À época, a Afipe disse que “não teve nenhum prejuízo financeiro e todo o valor voltou para a instituição”. A decisão que autorizou os mandados, porém, destaca que dos R$ 2,9 milhões retirados da Afipe para fazer o pagamento, quase a metade – R$ 1,2 milhão – não foi recuperado, ocasionando prejuízo à entidade.

Consta ainda na decisão que, foi a partir desses pagamentos, verificados durante investigação policial, que chegaram a uma “rede de envolvidos muito maior, com apropriações e negociações envolvendo os bens da associação”.

Padre Robson

Natural de Trindade, padre Robson, de 46 anos, é uma figura presente na cena católica. Ele também tem um programa em que promove momentos de reflexão com base em trechos da Bíblia e experiências pessoais, além de conselhos àqueles que pedem orientação religiosa.

O caminho dele para o sacerdócio começou aos 14 anos, quando entrou para o seminário e, uma década depois, se formou padre. Estudou por alguns anos na Irlanda e em Roma, na Itália, onde se formou mestre em Teologia Moral pela Universidade do Vaticano.

O religioso voltou para Trindade em 2003, como reitor do Santuário do Divino Pai Eterno, cargo que ocupou por 11 anos. Em 2004, ele fundou a Afipe.

Entre 2015 e 2019, foi Superior Provincial dos Redentoristas de Goiás. No entanto, depois disso, voltou à reitoria da Basílica, cargo que ocupa até então.

Afipe e Romaria

Fundada pelo padre, a Associação Filhos do Pai Eterno mantém um canal de TV e também transmite missas em uma rádio.

Além de toda a programação religiosa, a Afipe é responsável pela Romaria do Divino Pai Eterno, principal festa religiosa de Goiás e considerada uma das maiores celebrações religiosas do mundo. Ao longo de dez dias, são realizadas cerca de 100 missas e mais de 40 novenas, além de procissões, batizados, vigílias, alvoradas e confissões durante os dez dias de festa.

O evento reúne milhões de pessoas todos os anos. Em 2019, a romaria recebeu cerca de 3 milhões de fiéis de todo o Brasil e até do exterior. Neste ano, a celebração foi cancelada por causa da pandemia.

Segundo dados da Afipe, os trabalhos são mantidos por doações de fiéis. O evento também é responsável por movimentar a economia da cidade, que se mantém praticamente à base do turismo religioso, criado, principalmente, em torno da Basílica.

Nova Basílica

É por meio da doações de fiéis que a Afipe está construindo, desde 2012, uma nova Basílica em Trindade. A expectativa inicial era de que ela fosse concluída até 2022. Todavia, em 2018, essa previsão foi adiada para 2026.

A estimativa inicial era de que a obra custasse mais de R$ 100 milhões, a serem custeados por meio de donativos de fiéis e empresários.

O projeto prevê uma obra grandiosa: do alicerce até a cúpula, a basílica deve ter 94 metros de altura, o equivalente a um prédio de 30 andares, em uma área total de 120 mil metros quadrados.

Há dois anos o maior sino do mundo começou a ser feito para ser instalado justamente no templo.

Feito na Cracóvia, cidade da Polônia, o objeto tem 4 metros de altura, 4,5 metros de diâmetro e 55 toneladas. O sino, chamado de Vox Patris, em homenagem ao Divino Pai Eterno, é composto 78% por cobre e 22% por estanho e conta com imagens em fundição, na parte externa, que narram a história da Santíssima Trindade desde 1840 até a construção do santuário em Trindade.

A primeira capela construída em Trindade, em 1843, também é um ponto de atração e templo de devoção. Em 1912, o local foi reformado e inaugurado o primeiro Santuário, atualmente conhecido como Santuário Velho ou Igreja Matriz, sede da Paróquia do Divino Pai Eterno.

No mesmo ano, a Matriz foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Em 2013, recebeu um novo tombamento, dessa vez como Patrimônio Cultural Material do Brasil.

Fonte: G1/Goiás

PROPAGANDA
[xyz-ips snippet="galeria"]

Compartilhar