Escândalo: Empresa de pré-candidato a prefeito de Firminópolis é suspeita de realizar negócio irregular com a prefeitura

De acordo com documentos enviados por um leitor ao Jornal A Voz do Povo, o Auto Posto Interprise, localizado em Goiânia e de propriedade do empresário, ex-deputado e pré-candidato a prefeito de Firminópolis, Wagner Vilella, teria realizado a venda de combustíveis à Administração Municipal de Firminópolis no período de 2005 a 2008, em desacordo com a legislação.

De acordo com planilhas, o valor das transações foi de aproximadamente R$ 206 mil, sendo que cerca de 95% desse valor foi faturado para a Secretaria Municipal de Saúde, que à época tinha como secretária a então primeira-dama, Nilza Rosa da Silva, (foto ao lado), que hoje é uma das principais apoiadoras da pré-candidatura de Vilella. As compras foram feitas sem o devido processo licitatório. Por notas avulsas e reiteradas.

Além do fato de o Posto Interprise ser localizado em Goiânia, a prefeitura de Firminópolis, no período de 2005 a 2008, mantinha contratos de fornecimento de combustíveis com o Auto Posto Mendes, localizado na cidade. Fato que levanta a suspeita de não haver a necessidade de comprar de outro posto, principalmente sendo de outra cidade. E ainda tão distante.

Esta reportagem tentou por mais de uma vez ouvir o empresário e pré-candidato, mas ele preferiu não falar. O seu advogado, Dr. Tobias Rodrigues Pereira da Silva, se dispôs a convencer o seu cliente a dar a sua versão dos fatos, levando a ele os questionamentos feitos pelo Jornal, mas ele novamente se recusou a falar. Segue abaixo as perguntas direcionadas a ele:

-01: Procede a informação que o Auto Posto Interprise, pertence ao senhor Wagner Vilella?

 

-02: Procede a informação que esse Posto realizou a venda reiterada de combustíveis à Prefeitura de Firminópolis durante os anos de 2005 a 2008 sem o devido processo de licitação?

 

-03: Como aconteceu a escolha do Auto Posto Interprise como fornecedor pela prefeitura de Firminópolis?

 

-04: O senhor mantinha um vínculo de amizade com o prefeito à época Tutie bem como com sua esposa, a senhora Nilza Rosa?

 

-05: Em uma postagem do senhor Wagner Vilella, em sua página do Faceboock, recentemente, ele anuncia que se eleitor for irá realizar uma auditoria na Prefeitura nos últimos 12 anos. Por que ele não faria nos últimos 16 anos? Por que não auditar também o período de 2005 a 2008, gestão do casal Tuti e Nilza?

 

-06: Procede a informação que o senhor, bem como uma outra empresa sua, do mesmo ramo são alvos de inquérito instaurado pelo Ministério Público de Goiânia?

 

-07: Se procede, qual o objeto da investigação?

 

Em relação à pergunta nº 05, Wagner Vilella postou em suas redes sociais, recentemente, mensagem afirmando que se eleito for irá realizar uma auditoria na Prefeitura de Firminópolis no período de 12 anos atrás. Nesse ponto fica uma indagação: por que não auditar os últimos 16 anos? Seria porque pegaria a gestão de 2005 a 2008, que poderia alcançar a ex-primeira-dama?

Sobre a questão nº 06, esta reportagem obteve a informação que Wagner Vilella e uma outra empresa, da qual ele também é proprietário, estão sendo investigados pelo Ministério Público de Goiânia. O caso é relacionado à Câmara Municipal da capital.

A ex-primeira-dama e ex-secretária de saúde Nilza Rosa, bem como o ex-prefeito Tuti não foram encontrados por esta reportagem para comentarem o assunto. Esta matéria será publicada na íntegra, com mais detalhes, na edição impressa do A Voz do Povo, que irá circular nos próximos dias.

Por: Edivaldo do Jornal

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email