Família de adolescente que estava desaparecida diz que ela foi encontrada com ferimentos e hematomas pelo corpo

Paloma Figueiredo Silva ficou dois dias sumida após sair para se encontrar com namorado, em Aparecida de Goiânia. À mãe, menina disse que foi ameaçada e levada para casa abandonada. Polícia Civil investiga o caso.

A família da adolescente de 13 anos que ficou desaparecida por dois dias disse que Paloma Figueiredo Silva foi encontrada na noite de domingo (4) com ferimentos e hematomas pelo corpo. Segundo a mãe dela, Dilene Silva, que trabalha como supervisora, a menina disse que foi levada para uma casa abandonada e que foi ameaçada por homens encapuzados. A Polícia Civil investiga o caso.

A adolescente desapareceu na sexta-feira (2) no setor Rosa dos Ventos, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, e só foi encontrada na noite de domingo (6). Antes de encontrar a filha, o motorista Pedro Santana Silva, de 43 anos, disse que estava desesperado e pediu ajuda para encontrar Paloma.

“Estou muito preocupado e desesperado com o desaparecimento dela. Ela saiu de casa enquanto eu estava viajando e a mãe dela trabalhando e não disse para onde ia. Mas não tinha motivo para ela fugir”, desabafou o pai, antes de encontrar a filha.

De acordo com a mãe de Paloma, ela e o marido passaram duas noites sem dormir procurando pela filha.

“A gente ficou procurando por dias e nada de achar ela. Passamos a noite em claro, ficamos procurando o dia todo na sexta, no sábado e no domingo. Até que ligou uma mulher falando que tinha uma notícia, e nós encontramos ela”, disse a mãe.

A família contou que a menina namora com um adolescente de 17 anos e que o relacionamento deles não é aprovado pela família. No dia em que ela desapareceu, a família soube que ela se encontrou com o rapaz pela manhã e não voltou para casa.

“Ela fugiu com o menino aqui de casa, na sexta 8h da manhã. Quando eu cheguei do trabalho, vi que ela não estava e o portão estava aberto, e foi quando nós começamos a procurar por ela”, disse a mãe.

A mãe relatou ainda que a filha estava com machucados e hematomas pelo corpo e que disse que foi levada para uma casa abandonada.

“Ela saiu com o menino [namorado] para um córrego, e ele falou para ela ficar lá no córrego, porque ele já voltaria. Quando ele saiu, chegou outro homem e falou para a Paloma que iria levar ela em outro lugar, e que o namorado iria para lá, e a levou ela para uma casinha abandonada. Nisso, ela disse que entraram cinco caras encapuzados, fazendo perguntas, e falando que iria matar ela, e bateram nela”, explicou a mãe.

A delegada Bruna Coelho, da Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) de Aparecida de Goiânia, disse que a Polícia Civil investiga o caso e que, no dia que foi encontrada, a adolescente foi encaminhada para o Instituto Médico Legal, onde foram feitos exames na menor.

“Nós ouvimos ela na delegacia, nós estamos agora fazendo as investigações e apurando quem seria o responsável, o que aconteceu, se ela usou drogas, se aconteceu algum abuso, então, nós a encaminhamos ao IML para realizar exames, e estamos apurando o que de fato aconteceu nestes dias”, disse Bruna.

Segundo a delegada, a previsão é que os exames fiquem prontos em cerca de 10 dias.

Fonte: G1/Goiás

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email