Firminópolis: Mulher se apresenta à polícia e afirma que matou o marido em legítima defesa

Cinco dias depois de matar o próprio marido, o borracheiro Marciel Pereira da Silva, 37, (foto ao lado), com um golpe certeiro de faca, na região do abdômen, acompanhada de sua defesa, a dona de casa Elania Maria de Souza, 41, se apresentou à Polícia Civil, no início da manhã, de quarta-feira, 13, na delegacia de São Luís de Montes Belos.

Em depoimento, ela confessou o crime e justificou dizendo que agiu em legítima defesa. Segundo Elaina, no momento em que desferiu o golpe de faca no marido os dois estavam na cozinha da casa e durante uma conversa dos dois, ela com a faca na mão, ele teria perguntado se ela teria coragem de esfaqueá-lo. Ela diz que só se lembra que ele veio em sua direção e que ela deu-lhe o golpe na altura do umbigo. Que não se lembra de mais nada.

Sobre uma possível briga entre o casal, que teria sido a motivação do crime, Elania afirmou que não se lembra. Algumas testemunhas ouvidas até o momento, pela Polícia Civil, contam que não houve discussão ou briga entre vítima e autora.

Durante o depoimento, Elaina foi informada que a partir daquele momento ela estava presa preventivamente pelo crime que cometeu. O delegado Tiago Junqueira, responsável pelo inquérito, havia pedido e o juiz da comarca de Firminópolis deferiu contra ela um mandado de prisão preventiva. Elaina encontra-se detida no presídio da cidade de Israelândia. Onde aguardará o julgamento pelo crime que cometeu.

RELEMBRE O CASO (matéria publicada pelo www.avozdopovo.com.br)

Um passeio por uma fazenda, na beira de um córrego, durante o final de semana com amigos, o que era para ser momentos de alegria e de prazer se transformou numa tragédia que irá marcar para sempre duas famílias e amigos. Durante um desentendimento e no calor de uma discussão, mulher desfere um golpe fatal de faca na barriga do marido.

O triste fato aconteceu no final da noite de sábado, 9, por volta de 23 horas, numa propriedade rural do município de Firminópolis. Segundo testemunhas, o casal Marciel Pereira da Silva, 37, e Erlania Maria de Souza, 41, (foto), de repente começou a discutir e momentos depois a mulher, de faca em punho, desferiu um golpe na barriga do marido.

Informada que a vítima estava no Hospital Santa Gemma, em Firminópolis, uma equipe da Polícia Militar esteve no local e constatou a veracidade da denúncia recebida momentos antes. Ainda no Hospital os policiais conversaram com uma testemunha que presenciou o crime e que forneceu outras informações.

Durante uma conversa com o médico que realizava o atendimento à vítima, os policiais ouviram do profissional que Marciel havia sido atingido no abdômen, que estava em estado grave e que seria transferido para Goiânia. Momentos depois de ser tendida em um hospital da capital, a vítima não resistiu e veio a óbito.

Enquanto isso os policiais foram para o local onde o crime aconteceu. Uma propriedade rural próximo ao Distrito de Padiolândia, município de Firminópolis. Ao chegarem na propriedade, eles encontraram a porteira que dá acesso ao local, trancada. Numa propriedade vizinha ao local onde o fato aconteceu, o proprietário, que é primo da suspeita, disse aos policiais que ela esteve em sua residência e relatou a ele que tinha matado o marido.

Ele disse ainda que Erlania não aparentava ter nenhum ferimento ou mancha de sangue pelo corpo. Por fim ele disse que ela saiu rumo à propriedade de um vizinho. Os policiais fizeram buscas por toda a região e não a encontraram a suspeita. Esta reportagem falou sobre o caso com o delegado Dr. Tiago Junqueira, titular da delegacia de Firminópolis.

De acordo com ele, no dia seguinte ao crime, no domingo, 10, uma advogada o procurou afirmando que iria apresentar Erlania Maria de Souza. Porém, até às 22 horas daquela noite a apresentação não aconteceu. Na manhã desta segunda-feira, Erlania ainda era considerada como foragida da polícia.

Sem ouvir a versão da suspeita não é possível saber qual foi a motivação do crime. No Hospital Santa Gemma, a testemunha que conversou com os policiais afirmou que a vítima não agrediu e não fez qualquer ameaça à suspeita. O inquérito instaurado pela Polícia Civil irá elucidar o caso.

Por: Edivaldo do Jornal

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email