Homem é preso com quase 40 armas e centenas de munições em fábrica clandestina de armamento em Goiânia, diz polícia

Segundo a PM, suspeito não possui autorização para produzir material. No local, policiais encontraram revólveres, espingardas e até uma submetralhadora.

Um homem, que não teve a identidade divulgada, foi preso após ser flagrado com 36 armas de fogo e mais de 100 munições em Goiânia. Segundo a Polícia Militar, ele tinha uma espécie de fábrica de armas dentro de uma casa e não possuía autorização para produzir o armamento.

Como o investigado não teve o nome divulgado pela autoridade policial, o G1 não conseguiu localizar a defesa dele para que pudesse se posicionar sobre o caso.

De acordo com a corporação, por volta das 22h15 de sexta-feira (30), uma equipe da Rotam estava em patrulhamento pelo Setor Veredas dos Buritis quando os policiais avistaram um carro mal estacionado. Ao baterem no portão da residência, o dono do carro saiu e, ao pegar o documento do veículo, os policiais viram duas munições no assoalho.

Conforme o relato da ocorrência, ao questionar o homem sobre a autorização para ter as munições, o preso disse que não tinha e que exercia a profissão de “armeiro”. No entanto, segundo os policiais, ele não apresentou nenhuma autorização para exercer a atividade.

Ainda de acordo com a polícia, ao entrarem na casa os policiais se depararam com várias armas e munições. Ao questionarem o homem onde ele morava, ele informou que residia no Setor Canadá e que lá também havia guardado outros armamentos.

Os policiais relatam que seguiram para esse endereço, onde encontraram mais armas e munições, entre elas espingardas e até uma submetralhadora. Na casa também estava a esposa e a enteada do suspeito, que foram levadas junto com ele até a delegacia.

Segundo os policiais, as duas mulheres foram ouvidas e liberadas. Já o homem foi autuado em flagrante pelo comércio ilegal de armas de fogo e munições. Já o armamento foi apreendido pela polícia.

Sem a identificação do investigado, o G1 não conseguiu chegar junto ao Poder Judiciário se ele permanece preso até a manhã deste domingo (1º).

Fonte: G1/Goiás

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email