Homem é preso suspeito de oferecer carona para estuprar mulheres e de tentar matar uma delas

Segundo a polícia, ele abordou pedestres, as levou a uma estrada de terra e as abusou sexualmente dentro do carro. Em um dos casos, vítima correu nua até rodovia para pedir socorro. Polícia suspeita que ele tenha cometido o mesmo crime contra outras pessoas.

Um homem foi preso suspeito de oferecer carona com o objetivo de estuprar duas mulheres em Inhumas, na Região Metropolitana de Goiânia. Além do abuso sexual, ele é investigado por tentar matar uma delas, que fugiu após o abuso e correu nua até uma rodovia para pedir socorro.

O nome do suspeito não foi divulgado e, por isso, não foi possível  localizar a sua defesa. Ele negou à Polícia Civil ter cometido o crime.

A prisão ocorreu na segunda-feira (3). Aos policiais, a primeira vítima relatou que, em julho de 2020, o homem a abordou no bairro Vila São José e a ofereceu carona. Ela aceitou e, durante o percurso, ele mudou o trajeto e foi para uma estrada de chão às margens da GO-070.

A mulher chegou a questionar a mudança de caminho, mas foi ameaçada com uma arma de fogo e obrigada a ter relações sexuais com ele dentro do carro. Ela contou que, após o estupro, o homem a arrastou para fora do veículo e, quando ele se afastou para pegar a arma, ela correu, ainda nua, para dentro de um matagal. Em seguida, ela conseguiu pedir socorro na rodovia.

Durante as investigações, uma segunda mulher procurou a delegacia e relatou aos policiais que ele também a ofereceu carona e ameaçou com uma arma de choque para estuprá-la. O crime ocorreu em setembro de 2020, no mesmo local relatado pela outra vítima.

As duas realizaram o reconhecimento do suspeito, primeiro via fotografia e, logo após, presencialmente. O homem já tinha um registro de prisão por estupro. A polícia suspeita que ele tenha cometido o mesmo crime contra outras pessoas, que ainda não o denunciaram por medo.

O delegado responsável pelo caso, Miguel Mota, disse que o suspeito alegou que havia pago essas mulheres para terem relações com ele de forma consensual. No entanto, para ele, a versão não é verdadeira.

“Todas vítimas afirmaram terem sido estupradas, não é apenas uma palavra contra a dele. Inclusive, uma estava com lesões decorrentes das agressões físicas que sofreu durante o estupro e pediu socorro nua na rodovia, em ato de desespero. Houve o reconhecimento pessoal e uma das vítimas passou mal ao vê-lo, precisou de socorro médico”, disse.

Fonte: G1/Goiás

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email