Jussara: Ação rápida e eficiente de policiais militares evita consumação de suicídio

O fato que por muito pouco não terminou em tragédia, aconteceu no último dia 10, no Setor Marajoara, na cidade de Jussara. Após uma discussão com a esposa, Bruno Alves Ferreira Bueno, 23 anos, resolveu dar fim à própria vida se enforcando.

Acionados pela esposa da vítima, os policiais Sargento Padilha e Soldado Júlio Cézar, chegaram rápido ao local do fato. Quando entraram no interior da casa encontraram Bruno pendurado com um cordão, feito de fita de cetim, amarrado ao pescoço e já desfalecido. Imediatamente, os policiais cortaram o cordão e iniciaram ali mesmo alguns procedimentos de primeiros socorros.

Depois de dois longos angustiantes minutos com massagens cardíacas e movimentos de respiração, Bruno Alves voltou a respirar. Em seguida uma equipe do SAMU assumiu o atendimento à vítima, que foi encaminhada ao Hospital Municipal pelos profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

Aylla Bueno Cintra Ferreira, esposa de Bruno, relatou aos policiais que o marido, depois de uma calorosa discussão com ela, do lado de fora da residência do casal, entrou para dentro da casa, sozinho e com o propósito dar fim à própria vida.

Bruno ficou em observação no Hospital Municipal e foi liberado em seguida. Hoje ele passa bem. Esta reportagem não obteve a informação sobre como está a vida conjugal do casal. A torcida de todos é a de que ambos tenham se entendido e estejam bem, um ao lado do outro.

Procurado por esta reportagem, o Sargento Padilha deu uma emocionante declaração. Segundo ele, salvar uma vida não tem preço, que não existe nada nesse mundo que pague o sentimento que fica depois de uma ação desta.

“Só Deus mesmo para explicar uma sensação desta, porque foi ele quem nos colocou naquele lugar e naquela hora. Foi graças a ele que naquele momento, de tanta aflição e agonia, pudemos contribuir para trazer de volta à vida aquela vítima. Agradeço muito ao nosso Pai maior por tudo ter terminado bem”, disse Padilha.

Ações como esta dignificam ainda mais a gloriosa Polícia Militar de Goiás. Além de serem agentes da lei, altamente preparados, são serem humanos, são pais, são filhos, são maridos, são esposas e é por isso que são, acima de tudo, profissionais admirados e respeitados por toda a população.

Por: Edivaldo do Jornal

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email