Mãe de bebê atingida por fogo de artifício relata pânico após crime: ‘Pensei que ela ia morrer’

[post-views]

Segundo a polícia, homem jogou artefato para se vingar da avó da neném após ela cobrar que ele usasse máscara em bar de Uruaçu. Suspeito foi preso e vai responder por tentativa de homicídio.

A família da bebê de 6 meses atingida por um fogo de artifício arremessado por um cliente que não quis usar máscara no bar da avó da neném está assustada com o crime, em Uruaçu, no norte de Goiás. A criança teve queimadura no bumbum, nas costas e braço. Um suspeito foi preso por tentativa de homicídio.

“Eu pensei que ela ia morrer. Eu senti um aperto muito grande no meu coração. Pensei: ‘Pronto, minha filha morreu, não tenho mais ela’”, disse a mãe da criança, Sara Guimarães Alves.

 

A bebê recebeu atendimento no hospital da cidade e já se recupera em casa. A avó disse que a menina está sendo medicada.

“Estamos muito abalados, não conseguimos dormir. Qualquer barulho a gente já assusta”, disse a avó Luciana Guimarães, de 39 anos, dona do bar onde aconteceu o caso.

 

A comerciante contou que já conhecia o cliente e ele morava perto da casa da família. Ela disse ainda que o homem nunca tinha se mostrado agressivo.

Como o nome do suspeito não foi divulgado, o G1 não conseguiu localizar a defesa dele para que se posicionasse.

Crime

O caso aconteceu na quarta-feira (4), após a dona do bar pedir para que o homem colocasse a máscara devido à Covid-19.

“Ele entrou sem máscara e conversando perto da minha neta. Estava só a gente da família lá. Eu pedi [que colocasse a máscara] porque tenho medo dessa doença”, disse Luciana.

 

Segundo a polícia, o homem estava bêbado e, após o pedido para que usasse máscara, pegou dois fogos de artifícios conhecidos como “rojão de vara”, os acendeu e jogou na direção de um cesto em que a menina estava deitada.

Um dos rojões caiu e explodiu no interior do cesto, causando ferimentos pelo corpo da bebê e também queimando o lençol em que ela estava. O outro explodiu fora, mas, conforme a polícia, também gerou perigo à menina.

“Se ele tivesse jogado os rojões contra mim, porque fui eu que pedi para ele usar a máscara, ou contra minhas filhas, que são adultas, mas por que jogar num bebê? Foi muita maldade”, disse a avó.

O suspeito foi preso em flagrante, ainda dentro do bar. Em depoimento, ele negou que tenha jogado os rojões contra a bebê.

Agora, a preocupação da família é que a bebê se recupere bem das queimaduras. Eles ainda querem levar a criança a outros médicos para verificar a audição, já que o barulho da explosão foi muito alto e próximo ao ouvido dela.

Cesto em que bebê estava quando foi atingido por fogo de artifício — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Cesto em que bebê estava quando foi atingido por fogo de artifício — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Fonte: G1/Goiás

PROPAGANDA
[xyz-ips snippet="galeria"]

Compartilhar