Morte violenta de escrivã, em acidente de trânsito, deixa a população de Aurilândia e a Polícia Civil de luto

Uma tragédia ocorrida na madrugada desta segunda-feira, 6, pegou a todos de surpresa, principalmente a população da pequena Aurilândia e toda corporação da Polícia Civil. A morte violenta da escrivã de Polícia Civil, Leida Maria Macedo Marques, 64, em um acidente de trânsito chocou e abalou a todos.

O acidente aconteceu na Rodovia GO-417, entre a Vila Maximínio e a cidade de Aurilândia. De acordo com informações não oficiais, o estouro de um pneu teria feito com que a escrivã perdesse o controle da direção do Ford Ka, que ela conduzia, saísse da pista e capotasse por várias vezes em uma pastagem, às margens da rodovia.

Ela veio a óbito no local. O veículo, que pertencia à corporação, ficou praticamente destruído. Uma equipe Posto de Atendimento da Polícia Técnico Científica/IML, de São Luís de Montes Belos, recolheu o corpo da escrivã, que após a realização dos exames de praxe, será liberado para a família ainda nesta segunda-feira.

Os colegas de trabalho da escrivã, que estava prestes a se aposentar, de São Luís de Montes Belos e de Aurilândia ficaram em choque com a sua morte. “Não dá para acreditar. Estamos todos abalados com a morte da nossa amiga tão querida”, disse um deles.

O delegado regional da Polícia Civil Tiago Junqueira, que também ocupa o cargo de delegado titular de Firminópolis, acompanhou todos os trâmites pós acidente e está dando total apoio à família. Não foi informado ainda detalhes sobre o velório e o sepultamento.

Os delegados, Dr. Antonio Machado de Azevedo e Dr. Luiz Fernando, colegas de trabalho, estão consternados com a perda repentina e violenta da amiga. Esta matéria será atualizada a qualquer momento.

Por: Edivaldo do Jornal

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email