PM é preso suspeito de matar mototaxista que transportou a esposa dele, em Rialma

[post-views]

Polícia Civil vai investigar a motivação do crime. Segundo a corporação, a mulher do policial tinha ido a uma consulta médica e contratou o piloto para levá-la para casa.

Um cabo da Polícia Militar foi preso na terça-feira (22) suspeito de agredir e matar um mototaxista que transportou a esposa dele, em Rialma, região central de Goiás. A Polícia Civil vai investigar o caso para tentar descobrir a motivação do crime.

Em nota, a Polícia Militar disse que o cabo da PM João Carlos dos Santos estava de folga no momento do crime, mas que irá apurar todos os fatos e lamenta o ocorrido.

Segundo a polícia, a esposa do militar foi a uma consulta médica na cidade de Ceres e, ao voltar, contratou o mototaxista Wesley Alves de Araújo para levá-la até Rialma, onde mora. Quando o cabo da PM viu a mulher chegando em casa, começou a agredir o homem com golpes de capacete, danificando também a moto.

Conforme o documento, o cabo da PM sacou a arma e tentou atirar contra o mototaxista, mas foi impedido inicialmente por outros policiais que chegaram em seguida.

Os militares gritaram para que a vítima corresse e fugisse, mas o cabo da PM conseguiu se esquivar dos policiais, correu até a esquina e atirou contra o mototaxista, de acordo com o boletim de ocorrência.

Outros policiais chegaram para dar reforço, conseguiram prender João Carlos e levá-lo para a delegacia da cidade, onde foi autuado em flagrante por homicídio.

Em nota, a Polícia Militar também informou que a equipe agiu rapidamente para prender o cabo e que ele está em um presídio militar à disposição da Justiça.

“A instituição enfatiza que não coaduna com condutas que estejam em desacordo com princípios éticos, morais e legais, sempre defendidos por esta corporação, e que, mesmo o fato em questão tendo ocorrido em horário de folga, será instaurado pela Polícia Militar o devido processo legal, onde se apurará todas as reais circunstâncias do acontecido”, diz o comunicado.

Fonte: G1/Goiás.

PROPAGANDA
[xyz-ips snippet="galeria"]

Compartilhar