Polícia conclui que bebê que se afogou em piscina após pai ser preso foi morto por vingança, em Planaltina de Goiás

Investigações apontaram que primo da vítima, um jovem de 26 anos, provocou a morte depois de uma briga familiar. Criança foi encontrada morta depois de pai ser levado à delegacia por suspeita de roubo.

A Polícia Civil concluiu que Miguel Tayler Pereira Gualberto, de 1 ano, que se afogou na piscina de casa após o seu pai ser preso, foi morto por vingança, em Planaltina de Goiás, cidade goiana no Entorno do Distrito Federal. De acordo com as investigações, o primo da vítima, um jovem de 26 anos, foi quem provocou a morte do menino depois de uma briga familiar.

“Esse jovem levou uma surra do tio, que era o pai do bebê, semanas antes de a criança se afogar. Durante a reprodução simulada, nós constatamos que ele foi o último adulto a ver a criança com vida e praticou o crime para se vingar do tio”, contou o delegado Humberto Soares.

 

G1 não conseguiu localizar a defesa do investigado para que pudesse se posicionar sobre o caso. Segundo o delegado, um pedido de prisão preventiva chegou a ser feito ao Judiciário, mas ele foi negado. Portanto, o indiciado responde ao processo em liberdade.

O bebê morreu no dia 3 de julho. Segundo a família, ele estava com o pai, o agente de monitoramento Jonas Pereira Gualberto, e mais dois irmãos, de 3 e 6 anos, em casa, quando policiais militares chegaram e prenderam Jonas por suspeita de participar de um roubo. A mãe das crianças estava no supermercado. 

Durante as investigações, o pai afirmou que os policiais o renderam na porta de casa, quando ele saiu para pegar uma vassoura. De acordo com Jonas, os militares o algemaram e o levaram para delegacia antes de ele contar que os filhos estavam ficando sozinhos na casa.

Fonte: G1/Go

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email