Polícia prende marido suspeito de matar vendedora, queimar e esconder o corpo em saco de lixo

Delegado informou que homem confessou crime ao ser detido em São Miguel do Araguaia. Família identificou corpo da vítima, mas perícia é realizada para confirmação oficial.

A Polícia Civil prendeu o marido de Vanessa Rodrigues da Silva, de 31 anos, suspeito de matá-la, queimar e esconder o corpo dela em sacos de lixo no quintal da própria fazenda. Miguel Bento Fraga Filho foi detido em uma casa em São Miguel do Araguaia, no norte de Goiás, na noite de segunda-feira (6).

G1 não conseguiu descobrir quem representa a defesa do investigado para pedir uma posição sobre a prisão. A TV Anhanguera acompanhou quando o homem foi colocado no carro pelos policiais, mas Miguel não quis se pronunciar naquele momento.

Vanessa foi dada como desaparecida pela família, até que teve o corpo encontrado na fazenda do marido em 27 de agosto. O delegado responsável pela investigação, André Medeiros, disse que o suspeito do crime chegou a fugir para outros estados e voltou a Goiás.

“Ele chegou a viajar para o estado do Pará, do Mato Grosso, até chegar em São Miguel do Araguaia. Após o crime ele deu uma volta grande e retornou”, disse.

Ainda de acordo com André, Miguel não resistiu à prisão e confessou o crime ao ser detido.

“Identificamos a casa, pedimos autorização para entrar, os moradores permitiram e encontramos ele dentro da casa. Durante a abordagem, ele confessou o crime, foi preso e apresentado aqui na delegacia de Porangatu”, resumiu.

Investigação

A família de Vanessa Rodrigues denunciou o desaparecimento dela no último dia 16 de agosto, após ficar dias sem notícias dela. A última vez que ela foi vista por parentes havia sido em 11 de agosto.

A Polícia Civil começou a investigar o caso e apurou que Vanessa fora agredida pelo marido.

No dia 27 de agosto, os investigadores localizaram um corpo queimado dentro de um saco de lixo no quintal da fazenda de Miguel, que fica em Novo Planalto, no noroeste de Goiás.

De acordo com a Polícia Civil, o corpo foi identificado como sendo de Vanessa, mas deveria passar por exames no Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia para ter essa identidade verificada de forma oficial.

G1 entrou em contato com a Polícia Técnico-Científica, por mensagem às 8h24 desta terça-feira (7), para saber o resultado dos exames e perícias e aguarda retorno.

Relacionamento

A dona de casa Genilva Rodrigues da Silva, irmã de Vanessa, contou que a vítima e o esposo estavam juntos há 15 anos e viviam um relacionamento conturbado.

“Há 1 ano eles não estão mais juntos e dormem em quartos separados. Ela vende celulares e trabalha de casa, pois ele é muito ciumento e não a deixa trabalhar fora”, disse a irmã.

A família da vítima contou que os filhos do casal estão sofrendo muito. “O mais velho está sem dormir e sem comer. Ele tem noção do que aconteceu”, desabafou a irmã da vítima.

Genilva contou que as crianças estão sob os cuidados da avó.

Fonte: G1/Goiás

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email