Policial penal é presa suspeita de atirar no marido, sargento da PM. Ela alegou que a arma teria disparado

[post-views]

Segundo a Polícia Civil, ela estava embriagada e alegou que a pistola teria disparado de forma acidental

Uma policial penal de 34 anos foi presa suspeita de atirar contra o marido, um sargento da Polícia Militar, de 38 anos, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil (PC), o homem contou ter sido atingido após uma discussão, no momento em que foi fechar o portão, na entrada da casa do casal localizada no setor Perim.

Conforme registro policial, as equipes foram acionadas por volta da 1h da madrugada de quinta-feira (9).

O fato

Aos policiais, a vítima relatou que estava em um bar com sua esposa e ao chegarem em sua residência ocorreu uma discussão, tendo o PM mandado a mulher ir embora, e foi entrar em sua residência fechando o portão.

Nesse momento, a policial penal efetuou dois disparos de arma de fogo, com sua pistola, sendo que um dos disparos acertou de raspão a cabeça do PM.

O Corpo de Bombeiros realizou os primeiros atendimentos no local do crime e em seguida o encaminhou para o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol). O homem recebeu alta nessa quinta-feira (9).

Ainda conforme o registro da ocorrência, a mulher estaria embriagada e alegou que a pistola teria disparado de forma acidental.  Após o ocorrido, ela foi presa em flagrante por tentativa de homicídio e encaminhada à Central de Flagrantes. A arma do crime foi apreendida pelos policiais.

Após audiência de custódia realizada na tarde dessa quinta-feira (9), a juíza Ana Cláudia Veloso

Magalhães converteu a prisão da policial penal em preventiva.

A identidade da mulher não foi divulgada, por isso o Mais Goiás não conseguiu um posicionamento de sua defesa sobre o caso.

Por meio de nota à Diretoria-Geral de Administração Penitenciária de Goiás (DGAP) informou ter sido instaurando um inquérito administrativo para a apuração dos fatos.

“Os fatos ocorreram fora do horário de serviço da servidora. Após o incidente, ela prestou os devidos socorros à vítima e acionou o socorro. A DGAP esclarece que não compactua com desvio de conduta praticado por seus servidores. O caso será devidamente apurado”, esclareceu o órgão.

Confira na íntegra a nota da DGAP:

-Os fatos ocorreram fora do horário de serviço da servidora. Após o incidente, ela prestou os devidos socorros à vítima e acionou o socorro.

-Equipes da Corregedoria, Inteligência e da Superintendência de Segurança foram encaminhadas ao local para prestar apoio à servidora e também colaborar com os procedimentos policiais necessários.

-A DGAP esclarece que foi instaurado procedimento administrativo para apuração dos fatos e ressalta que não compactua com desvio de conduta praticado por seus servidores. O caso será devidamente apurado.

Fonte: Mais Goiás

PROPAGANDA
[xyz-ips snippet="galeria"]

Compartilhar