Procura por vacina contra a dengue na rede privada sobe 110% em 1 mês

[post-views]

No primeiro mês do ano, clínicas particulares aplicaram mais de 5 mil doses da vacina contra a dengue, segundo dados da ABCVAC

Em meio à explosão dos casos de dengue no Brasil, a procura pela vacina contra a doença subiu 110% em clínicas privadas de todo o país, de acordo com dados da Associação Brasileira de Clínicas de Vacinação (ABCVAC).

Segundo a entidade, em dezembro de 2023, a rede particular registrou pico na procura pela Qdenga, da fabricante Takeda, com 2.341 doses aplicadas. No primeiro mês de 2024, esse número subiu para 4.923 doses, aumento de 110%. Se comparado a novembro de 2023, quando foram aplicadas 1.955 doses, o aumento chega a 152%.

Atualmente, há duas vacinas disponíveis para prevenção da dengue na rede privada: a Dengvaxia, do laboratório Sanofi; e a Qdenga. A primeira é indicada para pessoas entre 6 e 45 anos que já tiveram a doença. O custo varia entre R$ 400 e R$ 500.

A segunda tem cobertura mais ampla, podendo ser aplicada em indivíduos de 4 a 60 anos, independentemente de infecção prévia. O imunizante deve chegar ao sistema público de saúde na segunda semana de fevereiro.

A vacina contra a dengue está disponível na rede privada desde julho do ano passado. Segundo a ABCVAC, até dezembro de 2023, foram aplicadas 633 doses da Dengvaxia, além de 8.367 da Qdenga, em 279 clínicas particulares. Neste ano, somente até 1º de fevereiro, o número soma 5.056 — 133 da Dengvaxia e 4.923 doses da Qdenga.

Alta de casos

Nas primeiras quatro semanas do ano, o país registrou 243.721 casos prováveis de dengue, segundo dados do Painel de Monitoramento das Arboviroses, do Ministério da Saúde. No mesmo período do ano passado, o número era de 65.366.

Além disso, há 24 mortes confirmadas pela doença e 163 em investigação. Em 2023, foram 41 óbitos confirmados e seis em investigação.

A primeira remessa com cerca de 757 mil doses de vacina contra a dengue chegou ao Brasil em 20 de janeiro. Outra remessa, com mais de 568 mil doses, tem entrega prevista para este mês. Além do primeiro lote de 1,3 milhão de imunizantes, a pasta comprou 5,2 milhões de doses para 2024.

A vacina será aplicada na população prioritária de regiões endêmicas, em 521 municípios.

Fonte: Metrópoles

PROPAGANDA
[xyz-ips snippet="galeria"]

Compartilhar