Radialista morre com coronavírus em Goiânia após viagem para cobertura esportiva, diz família

Cleiber Júnior lutava contra a doença desde 2 de fevereiro. Times goianos lamentaram a morte do profissional.

O radialista Cleiber Júnior dos Anjos e Silva, de 42 anos, morreu por causa da Covid-19 em Goiânia neste domingo (21). Segundo familiares, ele testou positivo para a doença em 2 de fevereiro, logo após voltar de viagens a Belém (PA) e Fortaleza (CE) para cobrir jogos de futebol.

Morador de Jaraguá, no centro de Goiás, o radialista trabalhava como narrador na unidade da capital goiana da Rádio Bandeirante e era coordenador da Rádio Cidade de Jaraguá.

Quando divulgou nas redes sociais que testou positivo para a doença, Cleiber também escreveu que “na Rádio Cidade Jaraguá, só duas pessoas não testaram positivo. Sendo assim, a rádio está fechada por uns dias”.

A reportagem procurou o responsável pela Rádio Cidade Jaraguá para que pudesse se posicionar a respeito, mas não havia localizado nenhum representante até a publicação desta reportagem.

A Rádio Bandeirante divulgou mensagens de luto, lamentando a morte do colega. Em nota a empresa afirmou que é um momento “de tristeza. Perdemos um grande companheiro, um profissional, um amigo, uma pessoa que integrava a nossa família, em todos os momentos de angústia estivemos junto com os familiares também’, lamentou a rádio.

Segundo a família, assim que chegou em Belém, ele começou a sentir alguns sintomas de gripe. Na capital paraense, em 30 de janeiro, ele cobriu a partida final da Série C do Campeonato Brasileiro, em que o Vila Nova, time goiano, foi campeão. No dia seguinte, ele viajou a Fortaleza, onde cobriu o jogo do time goiano contra o Ceará pelo campeonato Brasileirão Aspirantes.

Parentes contaram que Cleiber foi internado no Hospital Estadual de Jaraguá por causa da infecção em 3 de fevereiro. No dia seguinte, o paciente teve indicação de ir para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e conseguiu uma vaga em Goiânia no dia 6 deste mês, de acordo com os familiares.

Cleiber ficou em uma UTI no Hospital e Maternidade Célia Câmara, na capital, por 15 dias.

O corpo dele deve ser sepultado no Cemitério Parque, em Goiânia, neste domingo. O horário não foi divulgado e não deve haver velório, respeitando os protocolos de segurança em saúde para evitar a disseminação da Covid-19.

Homenagens

Governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) lamentou a morte do radialista e narrador. Segundo ele, Cleiber “fez sucesso na crônica esportiva do nosso estado com seu jeito leve e irreverente”.

O texto também alerta para que todos sigam se protegendo do coronavírus: “Precisamos de união e consciência coletiva neste momento delicado por que passa toda a humanidade”.

O Sindicato dos Trabalhadores em Comunicação de Goiás (Sindicom) também lamentou a morte de Cleiber. Em comunicado, o órgão escreveu que, apesar da partida do radialista, ele deixa “seu legado, sua história, as suas memórias”.

O Vila Nova, time que o radialista acompanhou antes de ser internado, publicou uma nota lamentando a morte de Cleiber. No texto, o clube o homenageia e reconhece o trabalho dele:

“Com grande carreira no esporte goiano, Cleiber acompanhou assiduamente o Colorado durante todos os jogos fora de casa no Campeonato Brasileiro da Série C de 2020 e esteve lado a lado com o Tigre, também, na final inédita do Brasileirão de Aspirantes. Que Deus possa confortar todos os amigos e familiares de Cleiber e que ele seja recebido com carinho no colo do Pai”.

O Atlético-GO também expressou o pesar do time pela morte do narrador esportivo. “O clube se solidariza com os familiares, amigos e toda a equipe da Rádio Bandeirantes/Feras do Esporte”, escreveu.

O Goiás Esporte Clube expressou as condolências pela morte do radialista. Por meio de nota, o time afirmou que “lamenta profundamente o falecimento do radialista” e que “se solidariza com a família”.

Nas redes sociais, muitos colegas e amigos expressaram tristeza pela morte de Cleiber.

Goiás tem mais de 380 mil casos confirmados da Covid-19, segundo Secretaria de Estado da Saúde (SES). Desse total, mais de 8,2 mil morreram por causa da doença.

 

 

Fonte: G1/Goiás

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email