São Luís: Prefeito entrega leitos de UTI, mas pacientes ficam sem atendimento

No último dia 16 de julho, o prefeito de São Luís de Montes Belos Major Eldecírio da Silva mobilizou o seu staff administrativo para receber a deputada federal Flávia Morais e o secretário de estado da saúde Ismael Alexandrino, dentre outras autoridades. Motivo: a entrega de 11 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e a oficialização da estadualização do Hospital Geraldo Ladó, que era municipal.

Nos discursos de todos, principalmente no do prefeito Major Eldecírio, ficava clara a conquista que São Luís de Montes Belos acabava de receber naquele momento com os leitos de UTI que estariam a partir daquela data à disposição da população monte-belense e de mais 28 municípios que compõem as Regionais de Saúde, Oeste 1 e 2 do Estado. Pelo menos foi isso que todos pensaram. Mas não foi bem assim.

No primeiro fim de semana após o evento, dois pacientes com a Covid-19, em estado grave, precisaram de tratamento intensivo. Ambos foram internados nos leitos recém-inaugurados. Porém, em seguida os dois foram regulados e encaminhados para Hospitais de Campanha em Goiânia. Três dias depois, um veio à óbito e o outro continua internado em estado gravíssimo.

De acordo com o médico Dr. Arthur Alves da Costa, diretor das UTIs do Hospital Regional de Campanha, de São Luís de Montes Belos (HCamp), o encaminhamento dos pacientes para Goiânia se deu pelo fato de na unidade de saúde não ter em estoque alguns medicamentos, como relaxantes musculares. E que para a segurança dos pacientes ele decidiu pela transferência.

Diante da situação, uma filha de um dos pacientes transferidos para Goiânia gravou um áudio e o mesmo se espalhou pelas redes sociais, que deixou muitas pessoas indignadas com a situação narrada por ela. Na mensagem ela conta que o pai foi levado para Goiânia porque no HCamp de São Luís não tinha medicamentos e faz uma grave acusação: que o médico de Goiânia afirmara que o pai dela não teria sido atendido adequadamente no procedimento de intubação, em São Luís.

Aparentemente indignado com a repercussão do áudio feito pela filha do paciente, o prefeito Major Eldecírio entrou em contato com o diretor administrativo do HCamp, senhor Jonas, e cobrou dele uma explicação. Ouça abaixo a fala do prefeito.

Em seguida o diretor respondeu ao prefeito dando as suas explicações. Confira.

Diante da situação, algumas pessoas questionaram também nos grupos de Whatsapp como os áudios das conversas entre o prefeito e o diretor do HCamp vazaram nas redes sociais? Esta reportagem obteve a informação que o vazamento não partiu do diretor Jonas. Não foi possível questionar prefeito Major Eldecírio sobre a questão.

Também nas redes sociais, o vereador Joaquim Monteiro, aliado do prefeito Major Eldecírio, foi questionado sobre o assunto e foi categórico em emitir a sua opinião. Ouça;

Na tarde deste sábado, 25, a redação do Jornal A Voz do Povo recebeu uma informação animadora relacionada ao paciente que está internado em Goiânia. De acordo um familiar, no boletim médico, divulgado naquele dia, o quadro dele apresenta uma pequena, porém, animadora melhora. O coração, que estava muito acelerado, está quase normal. Ele também passou por uma sessão de hemodiálise.

Por: Eduardo Guedes

PROPAGANDA

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email